The Big Bang a Teoria

Por Renato Alves

 

BAZINGA! BAZINGA! BAZINGA! Quem me conhece sabe o quanto comédia “besteirol” não é meu forte. Não costumo gracejar com humor simplório. Prefiro a fileira de Monty Python e sua risada inglesa. Colocaria na minha lista pessoal também as dissimulações italianas, como “Parente é Serpente”. Afinal, meu foco individual na busca pela risada sincera segue essa trilha de maré. Ao mesmo tempo, aprendi que na vida tudo é admissível e na sétima arte a caixa de surpresa pode ser formidável.

Em 2009 um amigo nerd, Fábio Pratinho, me aconselhou a conhecer a série The Big Bang Theory. Fui procurar o resumo da história na internet e recusei a alusão. Disse a ele que humor, com essa pegada, não era meu perfil. Ao ler a síntese, fiquei ainda mais convicto de que a trama não tinha o meu contorno. Entendia de que a série não seria com o humor inteligente e sarcástico como eu gosto, ou melhor, como prefiro.
Entretanto, ele insistiu: “Renato, você é o Sheldon. ASSISTA hoje”. Disse ele.
Resolvi então descobrir quem era o Sheldon…………fui encantado no primeiro episódio.

Na verdade, a paixão iniciou no exato momento em que ouvi a canção tema, produzida pela banda canadense Barenaked Ladies. A Música “The History of Everything” descreve de forma saborosa o desenvolvimento do universo e a evolução da humanidade.
“The Big Bang Theory” foi construindo sua evolução episódio a episódio; temporada a temporada. Assim como as tramas são curtas, para não se perder o foco e a piada; a série consegue manter o público fiel exatamente por cada um saber o papel que lhe cabe. Tudo num roteiro definido de forma agradável e de forma singular. Anedotas envolventes e inspiradas no cotidiano de um contexto único e pitoresco.

Cada ator é ciente de sua importância. As idolatrias a Star Wars, HQs e derivados nerds, cria nos Sheldons Júniors (todos fãs) a sensação de que estamos na tela. Todos atores merecem elogios em The Big Bang Theory, menos Jim Parsons, o Sheldon verdadeiro. Ele merece aplausos milenares por representar personagem tão profundo, real e insano. Como todo Sheldon deve ou deveria ser. BAZINGA! BAZINGA! BAZINGA!.
Tudo concretizado em tramas para os fãs do famoso Sheldon. Ou seja, tudo insano e irresponsável, até a voz de um personagem, que nem aparece na tela, se torna relevante e cativa ao público. Outro ponto que merece destaque na série são as diversas participações especiais, com destaque para a sempre valiosa presença de Stan Lee.
Meu amigo me chama de Sheldon. Sou mesmo. Afinal, sou metódico, insano e não empresto filmes ou bonecos. Mas, na dúvida pergunte a minha amiga Penny? Penny? Penny?

Sinopse – Leonard (Johnny Galecki) e Sheldon (Jim Parsons) são dois brilhantes físicos que dividem o mesmo apartamento. Suas vidas se complicam quando uma belíssima jovem, porém pouco inteligente, Penny (Kaley Cuoco, “8 Simple Rules”, “Charmed”), se muda para o apartamento do lado. A chegada de Penny perturbo um pouco a Sheldon já que ele prefere passar as noites jogando Klingori Boggle com seus amigos e colegas de trabalho e também cientistas, Wolowitz e Koothrappali, sem ligar para Penny. Contudo, Leonard vê em Penny a possibilidade de aprender a interagir com as mulheres e sente que ela é um novo mundo cheio de possibilidades, e quem sabe, do amor. Sheldon acha que isso é um sonho que nunca se realizará, porém, talvez nesta comédia estas mentes brilhantes possam aprender algumas coisas com uma jovem que trabalha em um restaurante.

RENATO ALVES
RENATO ALVES

10 comentários em “The Big Bang a Teoria

  • 20/10/2015 em 01:39
    Permalink

    Sim Sônia como sempre o Renato esbanjando uma excelente texto e sim estamos tendo a comprovação de que ele é o Sheldon 🙂

  • 20/10/2015 em 01:38
    Permalink

    Também começamos a achar isso Rosalia haahahaha obrigado por sua visita 🙂

  • 20/10/2015 em 01:38
    Permalink

    Sim exatamente o Sheldon com seu jeito louco e abusado encantou a todos realmente é uma excelente série, obrigado por sua Visita Marcelo Lubieska

  • 20/10/2015 em 01:36
    Permalink

    sim tARINE o Renato sabe mesmo como criar bons textos, obrigado pelo seu comentario e continue nos visitando, sua participação é fundamental para deixar nosso trabalho cada vez melhor

  • 20/10/2015 em 01:35
    Permalink

    obrigado pelo feedback Renata Tatá sua opiniao é muito importante para o Renato e para nós da Família Cine com Pipoca

  • 27/09/2015 em 16:41
    Permalink

    Oi Renato … Olha tipo de humor também não me deixa acionada.. Kkkk
    Mas, certos do seu comentário e crítica vou me permitir ver se tens razão.
    Abraço Tatá

  • 25/09/2015 em 16:30
    Permalink

    Formidável, tanto a série, quanto o texto Renato, ou melhor, Sheldon.. Kkk.. Parabéns como sempre!

  • 25/09/2015 em 14:24
    Permalink

    Sheldon, Sheldon. Acho que a série foi criada para o Leonard. Porém, o Sheldon roubou a cena. Viva o Sheldon.

  • 25/09/2015 em 11:39
    Permalink

    Realmente não há dúvidas que VC é o Sheldon
    A série é muito boa mesmo. Sei texto como sempre excelente. Parabéns.

  • 25/09/2015 em 11:13
    Permalink

    Adoro essa série. O texto está excelente. Mas vc é mesmo o Sheldon.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: