Jurassic World: Critica (2) Sob o ponto de Vista do Espectador

 

Por Gabriel / Pagina Cinemando

 

Em 1993, nascia um novo clássico: Jurassic park. O livro de Michael Crichton aliado a mente criativa de Steven Spielberg fez com que os dinossauros ganhassem vida na telona com um realismo assustador, e se tornassem ícones da cultura pop. Infelizmente as sequências de 1997 e 2001 não conseguiram chegar nem perto da grandeza do original, mas agora, 22 anos depois, os répteis gigantes voltam com força total em um filme que, se não tem o impacto do primeiro, é digno da franquia e não faz feio.
ÍndiceApós três partes com apenas tentativas e fracassos de se ter um parque com dinossauros como atrações, finalmente temos estabelecido o “jurassic world”, uma espécie de Disneylândia com muitas atrações baseadas na temática dos dinos. Os animais atingiram um nível de perfeição inacreditável, e nos fazem pensar como e se os efeitos especiais de computação gráfica ainda podem evoluir. No primeiro terço do filme, somos apresentados as mais diversas espécies e as diferentes formas que o parque estabelece a interação entre visitante e dinossauro, e a sensação de encantamento é inevitável. Nesse período, porém, dinossauros já deixaram de ser novidade para o público, e a necessidade de mudança leva a criação de uma nova espécie de dinossauro por meio de modificação genética, o novíssimo “indominus Rex”. Híbrido de diferentes espécies, é altamente inteligente e com um instinto assassino imparável, e é nesse momento que as coisas começam a dar errado.
Bryce Dallas Howard dá conta do recado como a Dra Claire, responsável pelo parque, e tem uma química muito interessante com Owen, o personagem de Chris Pratt. Novo queridinho de hollywood, o ator se firma como galã macho alfa e praticamente prova ser perfeito para o novo Indiana Jones. O núcleo infantil composto pelos sobrinhos tem destaque para o ator Ty simpkins, desde novo mostrando ser um ator de primeira. Vincent D’Onofrio dispensa comentários e mostra a competência de sempre como vilão. Apesar do núcleo principal e da fórmula de roteiro ser muito semelhante a do filme original, com um homem e uma mulher para resolver a situação, 2 crianças e um interesseiro que só pensa em dinheiro perdidos dentre os bichos soltos, há um grande diferencial que são os 20 mil visitantes adicionais que estão presentes, o que transforma tudo em uma anarquia extremamente sádica e divertida de se assistir.

o-ator-chris-pratt-numa-cena-em-que-tenta-se-esconder-de-dinossauro-no-trailer-de-jurassic-world-1422836270443_956x500Segue-se a fórmula com muitos devorados, perseguições e uma overdose de espécies dos mais variados tipos, sem nunca deixar o filme cair na mesmice. Um destaque adicional fica ainda para as diversas homenagens e citações ao filme de 1993, um golpe de nostalgia que atinge em cheio os mais saudosos e torna a experiência ainda melhor. Enfim, a nova aventura jurássica é diversão garantida e a pedida certa dentre as estreias dessa semana, não perca!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: