Hair (1979)

Por Marcelo Alvim

…….A Era de Aquarius, Aquarius!, Aquarius!

Harmonia e compreensão. Simpatia e confiança existirá

Não mais falsidade ou indiferenças. Devaneios dourados de visões

Revelações de cristais místicos. E a verdadeira liberação da mente

Aquarius!, Aquarius!….”

(um trecho da musica “Aquarius” de Gerome Ragni e James Rado)

 

Tem filmes que ficam com a gente, você vê e te motiva, faz você refletir e tem vontade e sair pulando de tanta alegria, esses filmes são os que mais gosto, adoro quando entro numa “cineviagem” e saiu mais feliz que antes. Nossa, fico irradiante, gosto assim, cinema sendo um instrumento de alegria, mesmo com seus dramas (precisa haver), os autores conseguem mandar mensagens positivas e te deixam nas nuvens……ah como eu amo assim!!!!

hair79hd_01

Hair para mim é um cinema completo, beira a perfeição, tem tudo de bom, claro tem drama, tem coisas que podem ser prejudiciais aos jovens,  como as drogas, mostradas como alegorias e os personagens literalmente viajam com ela, mas não acho que induza ninguém ao uso não. Acho que mostra como foi uma época do mundo, onde houve eclosão das drogas, uma resposta dos jovens para um mundo em guerra. Eles deram um “Foda-se tudo” para o mundo, foram viver em grupo e nas praças, queriam viver de dar e receber amor. Sonho, sim, um sonho louco mas que aqueles jovens cheio de vidas viveram, tiveram que dizer não ao mundo que construiu a guerra, e todo rompimento é algo forte, vem com um mundo de coisas, umas boas e outras nada boas, mas que o mundo precisava de ouvir aquele clamor, “Assim Não”, não aceitamos o mundo da guerra, queremos viver um mundo de amizades, de “Paz e o Amor”. Essa mensagem fica com a gente, ela é forte e poderosa por demais como o filme apresenta. E tudo isso com uma musicalidade, algo que para mim é essencial  a música, elas que nos embalam nos filmes, seja no momento de alegria, tristeza ou terror. Eles elevam a adrenalina das cenas, nos levam assim através dos sentidos para o meio do filme, é demais, uauuuuuuuuuu!!!!

Hair tem inúmeras mensagens que levamos para nossa vida, pelo menos para mim, como de viver plenamente, poder sonhar e realizar, tem uma vida sem preconceitos, tem uma visão da vida poética. Nossa são muitas sensações que ficaram em mim. Existe esse espirito de liberdade que fica impregnado na gente e nos mostra didaticamente a história do movimento “hippie”, depois de ver o filme eu li que foi baseado em uma peça de teatro de mesmo nome e que essa peça foi um marco da dramaturgia causando comoção nos palcos dos anos 60. É maravilhoso, outro fato que preciso reafirmar, uma das coisas que mais impressiona mesmo é suas musicas, elas fazem parte do jeito do filme contar sua história, ou diria que elas ajudam a contar seu enredo, é algo encantador, nunca vi isso assim, achei perfeito nesse sentido, as musicas vem para ajudar e criar um atalho para o contar da história, é como se explicasse uma parte dela, sempre acompanhadas com uma coreografia que mexe com a gente, assim as imagens, o som e os gestos nos dizem algo além do que vemos e ouvimos, muito além, diria “Aquarius”!!!!

Bom, acho que tem gente que poderá não gostar, eu nunca vou entender, mas tem claro, cada um tem um DNA de cinema, mas sei também que muitos vão como eu amar, querer sair dançando de tanta energia boa que sentem. Acho que isso que se traduz como uma “obra prima” do cinema, um filme que desperta tantas emoções e percepções que ficam com a gente, felizmente para sempre, e apesar dos dramas da trama, elas soam como uma parte da linda poesia que o filme nos traz, por isso para quem viu, ótimo, para quem não viu ainda, corra, é um filme para guardar no coração!!!!!

hair-01


Marcelo Alvim (Tchelos)

Ficha técnica do filme:

Hair (1979)

16 anos  |  121 min  |  Comédia, Drama, Musical   |   lançamento em 09 de maio de 1979 (França)

Jovem deixa a fazenda da família em Oklahoma para Nova York, pois chamado para participar da guerra, lá por acaso ele encontra jovens do movimento “hippie” onde conhece vive e conhece essa doutrina da contra-cultura.

Diretor: Milos Forman

Escritoras: Gerome Ragni (livro músicas), James Rado (livro músicas),

Estrelas: John Savage, Treat Williams, Beverly D’Angelo

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: