Crítica – O Segredo dos Seus Olhos (2009)

Por Tom CP.

O sucesso argentino/espanhol vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro, em 2010, não poderia deixar de ser alvo da onda de remakes que assola Hollywood desde a década passada. Faltam ainda alguns meses para a estreia da versão americana, mas decidimos relembrar essa obra prima do diretor Juan José Campanella para os que já assistiram e indicar esse longa imperdível para quem ainda não o conferiu.

A história se desenrola a partir do momento em que o oficial de justiça, Benjamín Espósito (Ricardo Darín), decidiu escrever um livro para ocupar seu tempo livre de aposentado. Ele retorna ao tribunal onde trabalhou boa parte de sua vida, afim de tirar opinião de sua obra, com sua ex chefe, Irene Menéndez. Acontece que o conteúdo do romance era um crime hediondo que acontecera há anos antes, quando Espósito ainda estava em atividade. Esse crime deixou a vida do oficial marcada para sempre.

A escolha do título já é explicada logo de início, quando é explicitado que os olhos de todo mundo podem esconder um segredo e não importa o quão duro a pessoa se esforce, seus olhos falam. Essa teoria já é provada na cena inicial, quando Espósito entra no tribunal requisitando ajuda de Menéndez. É possível perceber e antever nos olhos de ambos, que houve amor entre os dois, talvez ainda houvesse. Menéndez decide ajudar o amigo, então, o caso do assassinato da jovem Liliana Colotto, que é relatado no livro de Espósito e que jamais teve um desfecho adequado, passa a ser contado por meio de flashbacks.

02A história retorna a 1974, um ano historicamente conturbado para a Argentina. Colotto é assassinada e Benjamín Espósito, junto de seu fiel e carismático amigo de trabalho, Pablo Sandoval, são encarregados de um caso que à principio parece impossível de ser solucionado. Porém, mais uma vez os olhos entregam um segredo. Ao revirar fotos antigas da vítima, Espósito repara que, em diversas fotos, um homem dirige olhares apaixonados justamente para Colotto. O homem em questão é Isidoro Gómez. Não demora muito para que o oficial e seu amigo cheguem até o suspeito e essa cena do primeiro encontro, rende uma eletrizante tomada gravada em plano sequencia, em um estádio de futebol.

O segredo de seus olhos tem sucesso não só porque é uma intrigante história policial, mas principalmente pelo fato de que não se restringe nisso apenas. Este é um filme para sentir emoções. Na história há romance, drama, thriller, ação.. e um filme que consegue unir todos esses gêneros e emoções de forma bem organizada, já é por si só brilhante. Há também todo um contexto histórico da argentina no qual essa história mergulha, sem esquecer de mencionar da discussão acerca da solidão do viúvo de Colotto, que não consegue seguir em frente e condena a si próprio a prisão perpétua.

Benjamín Espósito não consegue dar fim ao seu livro, porque lhe faltava algo para pintar um ponto final. Essa peça fundamental em seu quebra-cabeça ele encontra no finalzinho, em um desfecho inesperado e profundamente triste e amargo.

O longa é uma montanha russa de emoções e isso faz dele imperdível! A fotografia tem dedo brasileiro, ficou a cargo do argentino nascido no Brasil, Felix Monti e é espetacular. A trilha sonora também é de muito bom gosto, mas são as atuações que encantam mais. Todos os atores arrasam e Darín se sobressai com seu oficial turrão, mas de um coração nobre e bondoso.

Pelo trailer do remake americano, percebe-se que a história foi um pouco modificada. Julia Roberts, que não é a personagem central no longa argentino, parece ganhar mais destaque nessa versão e a atmosfera ganha tons mais sombrios, ao estilo dos thrillers americanos. São poucos os casos de remakes de ótimos filmes não americanos que rendem filmes a altura ou até melhores (Millennium – Os Homens que não amavam as mulheres e Deixe-me entrar são raridades no meio), só resta então esperar que as mudanças apresentadas no trailer resultem em um filme pelo menos tão bom quanto este de 2009.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: