Comentando a Filmografia .:: Bennett Miller.

Por Cleber Eldridge.

O diretor Bennett Miller é um americano de talento, desde a sua estreia no cinema ele já mostrava isso, de longe – em seu primeiro filme Capote (2005) ele mostrou todo seu talento, o resultado é uma obra-prima única (ao menos ao meu olhar, um dos melhores filmes de todos os tempos) ao contar a história do escritor Truman Capote, autor do livro que originou o filme “Bonequinha de Luxo”, fez uma extensa pesquisa sobre um crime que aconteceu nos Estados Unidos em 1959, quando Dick Hickock e Perry Smith mataram uma família de quatro pessoas em uma pequena cidade do Kansas. Capote desenvolveu um estranho laço com os assassinos ao entrevistá-los para escrever In Cold Blood (A Sangue Frio) – em seu primeiro filme, o diretor já mostrou que tem uma mão firme, e apesar de ser criticado por muitos, por ser frio e distante Miller mostrou que sabe o que faz, principalmente quando se trata de dirigir atores – em seu primeiro filme, ele arrancou atuações excepcionais de Philip Seymour Hoffman (talvez, a melhor atuação da primeira década do século XXI) logo de cara, ele conseguiu que seu filme fosse indicado a cinco prêmios da academia, sua primeira indicação a melhor diretor.

01

Miller ficou longe dos cinemas durante alguns anos, mas voltou com força com Moneyball (2011) e outra vez figurou entre os melhores filmes do ano, recebeu mais seis indicações da acadêmia ao contar a história de Billy Beane, técnico do time de beisebol de Oakland, decide investir dinheiro em um sofisticado software de análise que escolhe os melhores jogadores – outra vez o diretor foi criticado por causa da distância do público, por causa da falta de emoção, eu particularmente achei o filme fantástico e mais uma vez arrancou uma atuação excelente de seus atores, Brad Pitt foi o ator da vez, até mesmo Jonah Hill estava excelente e o diretor em uma segunda parceria com Philip S. Hoffman – excepcional filme.

01

O filme mais recente do diretor foi a “biografia” do poderoso John DuPont, ou melhor, foi um filme sobre um capítulo avulso na história do bilionário – Foxcatcher (2014) a história real dos irmãos e lutadores Mark (Channing Tatum em sua melhor atuação) e Dave Schultz (Mark Ruffalo também em sua melhor atuação) e o relacionamento complicado com o excêntrico John Eleuthère Du Pont (Steve Carell excepcional), milionário que constrói um centro de treinamento em luta-livre e passa a patrocinar os irmãos Schultz – terceira vez que o diretor foi acusado da mesma coisa de seus filmes anteriores, ele foi frio demais – e apesar de achar esse o filme mais fraco do diretor, ainda é de fato excelente – o terceiro filme, também figurou na lista dos melhores do ano da acadêmia, uma segunda indicação a melhor direção para Miller e ainda lhe rendeu o prêmio de melhor diretor no festival de Cannes – agora vamos aguardar a próxima empreitada do diretor, e já saibam que ele é figura quase certa nos indicados ao Oscar.

fullwidth.5f01f959

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: