Amy Adams: Uma das Melhores Atrizes da Atualidade

Por Cleber Eldridge

 

Então, certa dia em uma conversa de boteco, um grande amigo sentenciou a seguinte informação: os atores sempre serão melhores que as atrizes, segundo ele os atores conseguem personagens mais fortes, e eu definitivamente não concordo com isso – como eu não consegui escolher uma única atriz em especial, escolhi três – vou começar por essa linda, maravilhosa e excepcional atriz: Amy Adams. Eu conheci o trabalho dessa mulher que tem quarenta anos, com rostinho de vinte, em sua primeira e justa indicação ao Oscar de melhor atriz coadjuvante em Retratos de Família (Junebug) uma deliciosa comédia na qual Amy interpreta uma grávida “maluquinha”, excelente atuação e se não fosse por uma concorrência pesada naquele ano (McDormard, Weiz e Williams – todas ótimas) talvez ela ganhasse, mas ao que parece esse Oscar ainda vai demorar um tanto.

O personagem de Encantada (Enchated) caiu como uma luva para Amy – que tem um olhar inocente e muito doce, claro que, o filme é muito fraquinho – mais uma das inúmeras fabulas da Disney, personagem como esse não tinha nem como arrancar uma atuações marcante de Amy – pra compensar ela está avassaladora em Dúvida (Doubt) não só ela como todo o elenco, nesse filme que precisa de um trabalho de elenco, impecável atuação de todos – a segunda parceria com Meryl Streep viria no lindo (me perdoem quem não acha) Julie & Julia (Idem) na qual Amy tem uma atuação linda, infelizmente esquecida nos prêmios – e como toda atriz, ela faz suas comédias românticas, eu particularmente acho que ela obteve uma grande química com Matthew Goode em Casa Comigo? (Leap Year) uma doce comédia romântica, porém esquecível, com um olhar pesado e meio diferente dos outros personagens (apesar de limitado) Amy estava meio “maníaca” em Na Estrada (On The Road).

Sua terceira indicação viria com O Vencedor (The Fighter) filme comercial/pronto de David O. Russell na qual eu não me convence de forma alguma, no entanto, ela se desempenhou muito bem, merecida indicação – não demoraria muito para uma outra indicação, e nas mãos de um diretor fantástico – ela como sempre estava a altura de todo o elenco em O Mestre (The Master) filmaço de Paul Thomas Anderson.

E quando todos pensávamos que Amy finalmente ganharia seu Oscar com Trapaça (American Hustle) mais uma vez nas mãos de David O. Russell, infelizmente (ou felizmente?) fato é que não tinha como ninguém derrubar a monstruosa Cate Blanchett – ainda no mesmo ano, mesmo com um personagem menor ela participou do memorável filme de Spike Jonze Ela (Her) e agora resolveu se aventurar nos filmes da DC Comics como Louis Lane em O Homem de Aço (Man of Steel) confesso que gostei, ela faz um casal lindo com Henry Cavill e logo voltará a esse universo com Batman v. Superman: A Origem da Justiça (Batman v Superman: Dawn of Justice) e esse último filme com Tim Burton (ODEIO) Grandes Olhos (Big Eyes) não achei lá grande coisa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: