TOP 10 PIORES DO ANO, POR EDUARDO PEPE

Por Eduardo Pepe

 

Nessa época do ano, é comum ir pipocando centenas de listas de melhores filmes do ano. Em paralelo, é também a hora que aparecem as listas dos piores. Alguns títulos se repetem e acabam se destacando como algumas das principais bombas do ano. Em outros casos, não se trata de serem desastres completos, mas ideias promissoras que foram mediocremente aproveitadas. Separamos aqui alguns dos filmes que mais foram bombardeados unanimemente em 2017.

1- A Múmia

@Divulgação Universal Pictures

O filme original foi sucesso como uma despretensiosa aventura de sessão da tarde. Nesse desnecessário remake o clima ficou sério e sobrou pouco do clima e muito menos de ligação com a cultura egípcia. O resultado desagradou a maioria dos fãs do original quanto dos espectadores em geral. O filme é esperado como um dos indicados ao Framboesa de Ouro, o Oscar dos piores do ano.

2- Baywatch – S.O.S. Malibu

@Divulgação Paramount Pictures

Uma adaptação que pouca gente entendeu a razão da existência. O seriado Baywatch dos anos 80 basicamente servia para mostrar pessoas bonitas com roupa de praia, sobretudo, Pamela Anderson, lembrada pelas caminhadas em câmera lenta na série. Aqui, prevaleceu um tom muito mais escatológico e apelativo e se juntou a lista de comédias de baixo nível que Zac Efron anda estrelando. Se espera que o jovem ator seja indicado assim como o filme em si para o Framboesa de Ouro.

3- Boneco de Neve

@Divulgação Universal Pictures

Depois de fazer filmes premiados como “Deixe Ela Entrar” (2008) e “O Espião que Sabia Demais” (2011), o diretor norueguês Tomas Alfredson deu um escorregão com esse suspense que gira em torno de serial killer de mulheres adulteras. Nem o talentoso Michael Fassbender no papel principal conseguiu salvar o filme de ser considerado uma decepção por ser repetitivo e lento sem motivo algum e, ainda por cima, com um desfecho dos mais frustrantes e um vilão pouco convincente.

4- Transformers – O Último Cavaleiro

@Divulgação Paramount Pictures

O primeiro Transformers tinha suas qualidades sendo uma aventura divertida, mas a cada novo filme da franquia o tom fica cada vez mais absurdo, mal contado e se resumindo a carros que viram robôs brigando e destruindo cidades.  Esse quinto filme da saga é mais uma descida ladeira à baixo. O diretor Michael Bay disse que esse é o último filme dele como diretor da franquia. O ideal mesmo era que esse fosse o fim da saga (ponto).

5- A Grande Muralha

@Divulgação Universal Pictures

Antes mesmo de estrear, o filme já estava sendo criticado ao abordar a defesa da Grande Muralha da China sem ter um personagem chinês com grande relevância na trama. Após estrear, a situação só piorou ao ser considerado um filme genérico, sem ritmo e o pior trabalho do diretor Zhang Yimou, que já dirigiu filmes aclamados como “O Clã das Adagas Voadoras” (2004) e “Lanternas Vermelhas” (1991). Para piorar a situação, a bilheteria foi abaixo do que era esperado.

6- De Canção Em Canção

@Divulgação Supo Mungam Films

O cinema de Terrence Malick nunca foi unanimidade e costuma angariar fãs e detratores com igual intensidade a cada novo lançamento. Mas com seu nome filme, decepcionou mesmo os maiores fãs com um semi “musical” que nunca diz a que veio. Um baita elenco entra e sai em cena sem puder fazer nada, participações especiais de músicos importantes são jogadas a esmo e o roteiro parece uma reciclagem desinteressante e desfocada de obras anteriores do diretor.

7- Tempestade – Planeta em Fúria

@Warner Bros

Todo ano tem um filme desastre que se vende simplesmente pelo prazer de mostrar a destruição de cidades famosas. Aqui nem isso acabou prevalecendo já que a destruição acaba sendo reservada a poucas cenas e com efeitos que não chegam a serem impressionantes. A junção de drama familiar, desastres naturais e um satélite salvador da pátria acabou sendo vista como uma mistureba pouco interessante ou convincente.

8- 50 Tons Mais Escuros

@Universal Pictures

O primeiro filme já havia passado longe de ser uma unanimidade no retrato do romance entre uma virgem pudica e um milionário sadomasoquista. A mudança de direção pouco ajudou a mudar os problemas. Mantendo a falta de química entre os atores, o romance anêmico e fútil e a ausência de naturalidade nas relações entre os personagens, a continuação foi considerada ainda pior que o primeiro filme por ter ainda menos acontecimentos que rendam nuances narrativas. Resta se contentar em ver a beleza dos corpos dos atores e do dinheiro que o senhor Grey gasta com sua amada. O primeiro filme da saga ganhou 5 Framboesas de Ouro, incluindo, Pior Filme, Ator e Atriz, logo, deve se esperar novos “prêmios” para essa continuação.

9- Rodin

@Mares Filmes

A cinebiografia do escultor Rodin foi considerada a maior decepção do festival de Cannes desse ano. Ao estrear no Brasil se confirmou: trata-se de um filme que nada acrescenta sobre o artista. Acaba sendo basicamente ele sendo autoindulgente com tudo e todos a sua volta num filme que tenta enaltecer a sua obra sem nunca contextualizar sua importância. Salvo as esforçadas atuações, sobretudo, a de Vincent Lindon no papel principal, pouca coisa merece destaque positivo.

10 – Emoji O Filme

@Divulgação Sony Pictures

Existem animações que atingem todos os públicos e outras que são focadas para crianças por serem infantis demais para quem já não é mais criança. Mas Emoji – O Filme abusa demais dessa premissa ao fazer uma animação de quase duas horas baseada nos famosos emojis que são trocados em mensagens através das redes sociais. Não precisa explicar muito mais que isso para se entender o tanto de aleatória e desnecessária é essa animação.

Menção Honrosa – Brasil: Policia Federal – A Lei é Para Todos

 

@Divulgação Downtown Filmes

Apesar de vendida como uma análise minuciosa e imparcial politicamente do início da operação lava-jato, acabou se revelando uma frágil, superficial e maniqueísta propaganda da polícia federal. Aqui não há espaço para dualidades, questionamentos ou qualquer coisa mais aprofundada. Acaba parecendo um daqueles filmes policiais genéricos que passam na TV no meio da madrugada. O elenco é até esforçado, mas há pouco o que se fazer. Entretanto, cabe ressaltar negativamente Ary Fontoura, muito caricato e nada parecido com a imagem pública notoriamente conhecida do ex-presidente Lula.

———————————————————————————————————————————-

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: