‘SICARIO: DIA DO SOLDADO(2018) – SUSPENSE E ADRENALINA QUE SUPERA EM NÍVEIS SOMBRIOS O PRIMEIRO FILME

De: Vinicius Montano

Após o primeiro filme ‘Sicario: Terra de Ninguém’ ser indicado a 3 Oscars em 2016, o filme de Denis Villeneuve na qual eu acho muito bom, com uma parte técnica excelente de dar aflição e sentir o tom sombrio da coisa, apesar de ver uns pequenos defeitos no filme e seu desfecho, o longa ganha uma continuação. Em ‘Sicario: Dia do Soldado’ o longa traz de volta os astros Benício Del Toro e Josh Brolin, deixando Emily Blunt de fora e trazendo rostos novos como Isabella Moner, Catherine Keener e Matthew Modine. A direção fica por conta de Stefano Sollima que dirigiu episódios da série italiana Gomorra.

A sinopse da sequência se passa depois de Sicario – Terra de Ninguém, acompanhe o misterioso Alejandro Gillick (Benicio Del Toro) e o oficial da CIA, Matt Graver (Josh Brolin), trabalhando juntos em uma audaciosa ação secreta. Na missão que envolve a filha de um chefão das drogas, Isabela (Isabella Moner), Alejandro acaba se vendo em uma encruzilhada moral e suas escolhas podem acabar desencadeando uma sangrenta guerra de cartéis.

Divulgação @Sony Pictures Brasil

A trama não me incomodou muito com esse novo diretor, que apesar de eu gostar muito do trabalho de Villeneuve, ele pecava em alguns aspectos, mas você acompanhava cada momento de tensão e agonia e o sentimento de pavor e medo em um dos três personagens, e tinha o aponderamento feminino por trás disso envolvendo as cenas dos atores Benicio Del Toro com a Emily Blunt. Aqui focamos em três histórias paralelas: uma travessia de imigrantes na fronteira dos Estados Unidos com o México, um ataque bomba a um mercado e um garoto se metendo numa fria pra entrar no mundo do crime a convite do primo. Nisso se desenrola um roteiro cheio de adrenalina e tensão melhorado em razão ao primeiro filme apesar de bom tr, uma fotografia bem sombria e uma trilha sonora que dá bastante arrepios e sentimentos de pavor.

Benicio Del Toro que volta como Alejandro, o personagem misterioso que roubou completamente a cena no primeiro filme, nesse tá bastante ameaçador, e sua quimica com a personagem Isabella, a filha do chefão das drogas é muito boa, tem um deslance importante ao torno do longa. Josh Brolin, esse ano de 2018 pra ele tá sendo o melhor dele com sua performance de Thanos em ‘Vingadores: Guerra Infinita’ no Universo Cinematográfico Marvel e Cable em ‘Deadpool 2’ e nesse papel tem um grande poder. As atuações de Catherine Keener e Matthew Modine como os cabeças que acompanham e ordenam a operação de perto por trás das câmeras são papéis importantes no longa.

Divulgação @Sony Pictures Brasil

‘Sicario: Dia do Soldado’ mostra que na minha visão da direção desse filme não me incomodou apesar de eu gostar do trabalho de Denis Villeneuve, só trouxe mais surpresas, agonias e muita adrenalina e um desfecho incrível que você quer dar uma chance de vir o terceiro longa pra fechar com chave de ouro o enredo da guerra do tráfico de drogas no México.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: