Seleção da 39ª Mostra de São Paulo, mais uma vez decepciona.

Por Cleber Eldridge.

Eu como cinéfilo paulistano que sou, aguardo muito ano após ano a Mostra Internacional de São Paulo, ou melhor, esperava – porque nos últimos anos, só o que me ocorre é a decepção ao analisar a seleção de filmes. Parece que o curador da mostra, pensa longe e escolhe uma porrada de filmes intitulados cult para uma determinadas gama de pessoas e esquece do público, tudo bem que, todo ano é uma correria infernal para assistir um filme, mas, que o curador escolha melhor esses filmes. Em 2015, apenas três títulos em particular me chamou atenção, mas calma lá.

A 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que acontece de 22 de outubro a 4 de novembro na capital paulista, divulgou neste sábado as atrações deste ano. Este ano serão 311 filmes de 62 países, que serão exibidos em 22 endereços, entre cinemas, espaços culturais e museus, em outras palavras, os organizadores fazem as pessoas correr de uma lado ao outra da cidade, o que não é uma má ideia, mas definitivamente é cansativa.

O finado (?) Hector Babenco foi escolhido para abrir a mostra de 2015 com o filme “Meu Amigo Hindu” (que raio de filmes é esse?) dentre os destaque nada muito grande, com exceção dos três que me chamaram atenção, estão confirmados na programação da mostra 14 filmes que foram indicados por seus países para concorrerem a uma vaga na disputa do Oscar de filme estrangeiro, entre eles estão “Lo Que Lleva el Río”, da Venezuela, “As Mil e Uma Noites – Volume 2”, de Portugal; “El Abrazo de la Serpiente”, da Colômbia; “A Ovelha Negra” (Hrútar), da Islândia; “Cordeiro” (Lamb), da Etiópia; e “Labirinto de Mentiras”, da Alemanha.

Os premiados “Dheepan”, de Jacques Audiard (Palma de Ouro no Festival de Cannes); “Desde Allá”, de Lorenzo Vigas (Leão de Ouro no Festival de Veneza); “Pardais”, de Rúnar Rúnarsson (Concha de Ouro no Festival de San Sebastian), também foram selecionados – o primeiro é o filme que eu mais aguardo no ano, então não tenham dúvidas que estarei na sala, isso é claro, se a concorrência – o segundo vencedor de Veneza também me chamou atenção, estarei por lá e por fim, porém não menos importante está “Chronic”, de Michel Franco.

Os ingressos individuais, vendidos nos cinemas e pela internet com até quatro dias de antecedência, variam de R$ 8 (meia, de segunda a quinta) a R$ 20 (inteira, de sexta a domingo).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: