REVIEW: GAME OF THRONES – SÉTIMA TEMPORADA- EP. 01

Por Cadu Costa

 

E o Inverno, enfim, chegou. Após HBO atrasar a produção por conta justamente do Inverno ter chegado a Westeros e, consequentemente, a estreia da temporada – um dos maiores eventos televisivos a cada ano ao redor do mundo, Game Of Thrones voltou e já vimos logo no primeiro um grande episódio. Talvez a melhor estreia de todas as temporadas.
Já aviso que pra escrever uma resenha sobre GoT sem citar SPOILERS é impossível.

Então, já aviso: SPOILERS! SPOILERS! SPOILERS!

Ok, então vamos lá.

Antes mesmo da clássica abertura, vemos Walder Frey brindando com todos os Freys remanescentes. O velho Walder cita os Starks mortos no Casamento Vermelho e após uns momentos de euforia dos presentes vemos que algo está errado. Todos começam a morrer envenenados. E nos é revelado que Walder Frey na verdade era Arya Stark usando seu rosto. Mais uma prova de que a aquela galera lá de cima tem uma memória muuuuuuuuuito boa.

Aliás, essa cena da Arya usando o rosto de Walder Frey e matando todos que sobraram da família do asqueroso Lorde é impactante não só por conta da vingança Stark, mas também pra mostrar que os Lannisters estão ficando sem apoio. Tanto que quando vemos a, agora, Rainha Cersei, ela começa a pensar numa aliança com Euron Greyjoy e sua frota de mil navios. O que chega a causar um ciúme em seu irmão-amante Jaime Lannister porque uma aliança Lannister-Greyjoy vem com uma ideia de casamento entre Cersei e Euron.

@Divulgação HBO

Cersei também aparenta mais fria e dura afinal, ela perdeu seus pontos fracos: os filhos. Qual o impacto disso em sua já má personalidade? A conferir.

Sobre Euron Greyjoy, uma análise à parte: Sua chegada a King’s Landing tem várias sacadas e indiretas pros Lannisters; roubou a cena e pode ser um personagem pior mesmo que Ramsey Bolton. Esse promete.

Antes vimos também que Bran Stark e Meera chegam na Muralha. E os Caminhantes Brancos também estão chegando. Num exército poderosíssimo. O que nos mostra que o inverno não só chegou como o fim está próximo.

Um personagem que deve crescer muito nessa temporada é o Cão. Ao se juntar ao grupo de Thoros de Myr e Beric Dondarrion, Cão tem uma visão no fogo sobre o que pode ser uma profecia sobre a queda da Muralha. O Cão, aliás, é uma incógnita desde a primeira temporada. No entanto, não podemos negar que algo grandioso o aguarda.

No Norte, temos Jon Snow e Sansa Stark divergindo sobre como liderar. Jon é o rei, ela é a conselheira. E tudo parece em paz no sentido da união do Norte, mas Jon e Sansa não se entendem em algumas posições e isso pode afetar a relação dos meio-irmãos. Enfim, essa é uma situação complicada, pois sabemos o quanto os dois irmãos se amam mesmo que não concordem em tudo. Sansa sofreu muito durante seu período Sul, e não é difícil entender porque ela teme que Jon sofra o mesmo trágico destino de seu pai Ned e seu irmão Robb Stark. E se tem alguém quem curte esse conflito entre eles é o sempre não-confiável Mindinho. Mas, Sansa coloca ele no lugar de sempre o que nos mostra o real endurecimento e crescimento da personagem. Mas, ainda saberemos mais como será essa relação. Afinal, Mindinho é Mindinho. Na mesma reunião com o pessoal do Norte, mais uma vez, Lyanna Mormont rouba a cena. A menina é tão forte e determinada mentalmente que possui os respeitos de todos os grandes homens do local.

@Divulgação HBO

Arya Stark, também volta a aparecer, dessa vez juntos de uns guardas Lannisters – é aqui que encontramos a participação do cantor Ed Sheeran como um dos soldados – e descobrimos que ela está indo para o Sul e não para o Norte. Ao ser perguntada sobre o que pretende em King’s Landing, sua resposta: “Matar a rainha”.

Isso abre uma teoria interessante sobre quem irá matar Cersei. Como sabemos, temos a visão da Rainha sobre se casar com um rei, enterrar três filhos e morrer por um valonqar, o irmão mais novo. Todos pensam em Jaime ou Tyrion. Mas e se for Arya usando uma das faces dos irmãos?

Já perto do fim do episódio vemos que Samwell Tarly continua estudando pra ser Meistre. Com uma vida mais dura que de muito estagiário, Sam acaba descobrindo onde Jon e cia. podem encontrar mais vidro do dragão, a arma capaz de destruir os Caminhantes Brancos. Na Citadela onde Sam vive agora vemos também sobre o estágio da escaramagris, a doença de Jorah Mormont. Ele ainda pergunta por seu amor. Que é? SIM, ELA!

Daenerys Targaryen! A Filha da Tormenta, a Não Queimada, Mãe de Dragões, Rainha de Mereen, Rainha dos Ândalos e dos Primeiros Homens, Quebradora de Correntes, Senhora dos Sete Reinos, Khaleesi dos Dothraki, a Primeira de Seu Nome e…DONA DO MEU CORAÇÃO E DE QUASE TODOS OS FÃS DA SÉRIE!

A poderosa Targaryen chega em casa, na Pedra do Dragão. Com muita emoção e sem diálogos – as imagens somadas à trilha de Ramin Djawadi já diziam tudo – Daenerys mostra em apenas uma frase o porquê de sua presença ser tão adorada.

No geral, foi uma grande estreia e a partir daqui podemos ver que tudo será bem direto. E a deduzir pelo teaser do próximo episódio, o ritmo será incessante.

Se podemos começar? Oh, rainha…não vemos a hora!

_________________________________________________________________

AUTOR DO TEXTO:

CADU COSTA
Lapa – 21 97945-0704

Um comentário em “REVIEW: GAME OF THRONES – SÉTIMA TEMPORADA- EP. 01

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: