OS 13 PORQUÊS SEGUNDA TEMPORADA: “PECA NOS MESMOS ERROS”

Por Eduardo Tavares

“Os 13 Porquês: 2ª Temporada”: peca nos mesmo erros;

 

Existe um conceito muito cruel que essa série ajudou a criar: o que existe um real “porquê”, ou “porquês” para se tirar a própria vida. Conceito esse, que foi à baixo nessa temporada. Skie, nova namorada de Clay, é uma personagem depressiva e que possui atitudes autodestrutivas – problemas similares aos de Hanna. Perguntada por Clay sobre o porquê havia se mutilado, ela se diz incapaz de definir um motivo. A série acerta nisso, pois a depressão não é uma escolha que se toma de forma realmente lúcida. Ela é como um corpo estranho, algo dentro de nós, que tentamos domar, mas impossível de compreender. Como um inquilino ruim, que temos que aprender a conviver e nunca vai embora.

 A humanidade tem a mania de conceituar e explicar tudo. Mas como explicar e justificar a renúncia da própria vida? Nessa passagem que acontece logo no início, já podemos perceber que a série aprimorou sua linha de pensamento, depois de severas críticas que ocorreram em sua estreia, ano passado. Mas infelizmente continua pecando ao tentar agredir o espectador com uma realidade brutal escondida em um produto teen tentador às mentes menos preparadas.

 Confesso que é ainda difícil, mesmo para um adulto, assistir a uma trama tão pesada e melancólica. Quando se percebe, estamos envolvidos em uma atmosfera realmente triste e tóxica, com personagens feridos e problemáticos, e também, outros, que personificam o mal e a crueldade. A violência, que vem de maneira repentina, ocorre de maneira gratuita. Parece que é feito para preencher um vazio na história, e cumprir os já esperados 13 episódios.

@Divulgação Netflix

A profusão de elementos juvenis, como já tinha dito na crítica da primeira temporada, é elemento tentador para atrair um público mais jovem. Mas embora a série tenha uma embalagem teen, seu conteúdo é ainda bem pesado em sua segunda temporada. Em razão disso, logo nos primeiros segundos de vídeo, somos expostos a um filme de caráter informativo sobre o conteúdo do show. O elenco se reúne para nos avisar que a série aborda temáticas pesadas como: o estupro, drogas e o suicídio, e só deve ser assistida com o consentimento dos pais, no caso dos menores de idade.

A série definitivamente assume seu caráter de suspense dessa vez, que tem como pano de fundo o longo processo no tribunal movido pela mãe de Hanna. Essa medida acertada coloca a escola, onde a menina estudava, como responsável pela permissividade de um ambiente hostil e sem austeridade para punir ou impedir variados episódios de bullying. A atriz que interpreta a mãe da jóvem continua sendo o ponto alto de atuação no elenco, que conta, na maioria, com jovens atores.

@Divulgação Netflix

Era muito aguardada a volta de “Os 13 porquês”, por muitos motivos. O criador do romance no qual a obra é inspirada foi acusado de assédio sexual e afastado da produção pela NetFlix. Sendo a sua primeira temporada completamente baseada no seu romance, os fãs não sabiam o que esperar de sua segunda, no qual se revelou uma repetição dos eventos passados por Hanna, na visão dos seus 13 porquês- seus “amigos” que inspiraram seu ato final.

Embora a série tenha seu charme, não a aconselho a todas as pessoas. Muito menos aos jovens. Mas se você tem uma cabeça aberta para acompanhar uma realidade brutal com o recheio agridoce da juventude, embalada por músicas new age, pode ser que funcione. Não posso negar que o carisma de Hanna Backer, que volta nessa temporada, nos faça querer justiça e nos envolva na história. Mas também não dá para desconsiderar a falta de dinâmica da série. É difícil “maratonar” os pesados 13 capítulos.  Nota: 2

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: