ME CHAME PELO SEU NOME: “FÁBULA DE UM AMOR VERDADEIRO, INTENSO E REAL”

Por Alysson Melo

 

“Fábula de um amor verdadeiro, intenso e real”

 

Call me by your name foi desenvolvido com muita expectativa do público que leu a obra literária original do autor André Aciman, que ainda não foi traduzido para o Brasil, o livro está sendo traduzido para ser lançado junto ao filme de Luca Guadagnino que estará estreando no Brasil dia 18 de janeiro após passar por diversos festivais pelo mundo e está em exibição em algumas sessões no Festival do Rio 2017. Assim como os sucessos de Carol (2015), Moonlight (2016) é esperado que “Me chame pelo seu nome” seja indicado ao Globo de Ouro e Oscar 2018 em várias categorias, que para muitos pode ser o longa com temática lgbtq que fará sucesso entre os membros da academia em contar essa belissima história de amor e desilusões amorosas e um novo patamar na história de filmes com temática homossexual a estarem 3 anos seguidos fazendo sucesso nas premiações aclamadas pelo publico e crítica.

A história se passa em 1983  no norte da Itália  onde o sensível e filho único da família americana com ascendência italiana e francesa Elio Perlman, de 17 anos que passa seus dias em um verão despretensioso na casa de seus pais  um antigo casarão do século XVII. Seus dias são repletos de composições ao piano e flertes com a sua amiga Marzia. Um dia Oliver, um charmoso homem de 24 anos, chega para ajudar o pai de Elio em sua pesquisa sobre a cultura greco-romana. Sob o sol do verão italiano. Elio e Oliver descobrem a beleza do desejo, amor e paixão que mudará o rumo de suas vidas.

@Sony Pictures

A direção fica por conta de Luca Guadagnino que está de volta após 2 anos de seu último longa “A bigger Splash” (2015) aqui o cineasta consegue trazer toda a delicadeza e suavidade em trazer essa história. Luca ele é muito atento nos detalhes seja nos objetos, nas paisagens e detalhes bastante visuais e na condução do seus atores, sua coordenação conseguiu trazer boas atuações e uma direção bastante primorosa e exemplar de um cineasta que não tem medo de ousar e arriscar e o seu envolvimento no projeto mostra que Ele sabe o quanto essa história merecia ser contada e consegue trazer um ótimo resultado final.

No elenco de protagonistas temos o ator Timothée Chalamet que já estrelou diversas produções independentes em hollywood, como “Interestelar” (2014), “Homens, mulheres e filhos” (2014) mas aqui é o seu primeiro grande papel que o faz de maneira muito delicada e sensível, o ator realmente se entregou ao personagem e vivenciou tudo aquilo deixando de maneira mais realista possível, seu personagem é tão carismático e querido que logo o público se vê encantado pelo Elio. Seu parceiro de cena temos o ator Armie Hammer que protagonizou “Agentes da Uncle” (2015) aqui o ator mostra todo um lado o qual o público não está habituado a ver em seus papéis, onde mostra esse cara que além de possuir presença e beleza natural em tela, ele consegue ser sensual sem soar forçado e ao mesmo tempo na caracterização de seu personagem, onde se mostra uma pessoa sensível e amorosa com ares galantes e com muito charme. Ele trouxe uma boa imagem desse personagem, o Oliver que além de ser uma boa pessoa ele é aquele homem que é inteligente e Hammer não só cativa como encanta. A química dos atores é absurda de incrível e isso e transpassado nas telas em explosão de sentimentos e sensações.

@Sony Pictures

O roteiro além de se basear na obra de André Aciman ele foi roteirizado por James Ivory que já estava há mais de 14 anos sem um novo projeto, seu ultimo filme foi “The Divorce” (2003) seu longa mais famoso também possui temática lgbtq “Maurice” (1987). O roteiro ele mostra um enredo de um adolescente descobrindo a fase adulta e as nuances do primeiro amor, paixão, desejo, primeira vez e da própria sexualidade. Desde o inicio até o seu desfecho a narrativa busca contar essa fábula do amor verdadeiro com muita suavidade, delicadeza, pureza e encantamento. A história vai sendo mostrada bem dinâmica desde a rotina da família, a chegada do novo hóspede, o acolhimento deles para com o Oliver, a relação de amizade entre Elio e Oliver até chegar no desabrochar do desejo, paixão e amor entre essas duas pessoas que definitivamente estavam destinados um para o outro, como em um conto atemporal sobre amor sem limites.

A fotografia é linda e as belas paisagens e locações italianas trouxeram um charme a mais a película, onde esbanja de cores e luz, em seus ambientes claros e luminosos, com muita cores vivas que intensificam a qualidade da imagem e vídeo e ter uma beleza indescritível que enche os nossos olhos com tamanha beleza e lividez.

@Sony Pictures

A trilha sonora é outro destaque toda envolta por canções solos a piano, toques lírico, outras atemporais com nuances de intensidade e suavidade, o tocar no piano além de trazer ótimas sequências também faz jus a proposta do filme, no qual Elio estuda musica e as praticas e performances são uma coisa muito comum e natural, a música é praticamente um personagem dentro do filme, porque está em plena sintonia com o ritmo do filme, na história dos personagens e com várias musicas dos anos 80 que retratam bem essa época e traz nostalgia para o público mais adulto que vivenciou  esse período.

Call me by your name (no original) é um belíssimo filme que retrata todas as duvidas, paixões e amores da juventude em transição para a fase adulta e de como a nossa vida pode mudar com a chegada de alguém inesperado. Além de tratar de vários temas como relação familiar, primeiro amor, amizade verdadeira, descoberta da própria sexualidade, busca da própria identidade, temática lgbtq, desilusões amorosas e crescimento pessoal. O nome do longa está inserido na história e ao adentrar mais na narrativa temos a explicação do nome titulo do livro e filme. A relação dos pais é mostrada de forma muito especial com bastante harmonia e carinho, aceitando o filho que tem e o amando seja o que ele for ou que venha a ser, achei bastante interessante porque foge bastante dos clichês das histórias que falam sobre um amor gay onde a família não aceita a condição do filho. Aqui é tratada de forma bem natural e além da excelente cena que envolve pai e filho e todo o conjunto de assuntos aos quais eles desenvolvem e conversam, sendo essa a melhor cena do filme e é um momento muito lindo e bem emocional que pode tirar as lágrimas do público como tirou da minha que aqui vos escreve. O desfecho final mostra muito a realidade e mostra que a fábula de um amor verdadeiro pode ser intenso e real até onde durar a intensidade de um amor inesquecível.

—————————————————————————————————————————————–

 

FICHA TÉCNICA:

Data de lançamento:18 de janeiro de 2018 (2h 11min)
Direção:Luca Guadagnino
Elenco:Armie Hammer, Timothée Chalamet, Michael Stuhlbarg mais
Gêneros:Drama, Romance
Nacionalidades: França, Itália, EUA, Brasil
Distribuição: Sony Pictures
—————————————————————————————————————————————-
AUTOR:
ALYSSON MELO

Um comentário em “ME CHAME PELO SEU NOME: “FÁBULA DE UM AMOR VERDADEIRO, INTENSO E REAL”

  • 13/10/2017 em 14:53
    Permalink

    mas que porcaria de texto!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: