KINGSMAN: O CÍRCULO DOURADO (2017) “USA FÓRMULA DO PRIMEIRO E TRAZ MAIS DO MESMO”

Por Vinicius Montano

 

“Usa fórmula do primeiro filme e traz mais do mesmo”

 

Grande surpresa nos cinemas em 2015 para quem curte aventura e comédia de alta violência, ‘Kingsman: O Círculo Dourado’ é a continuação de ‘Kingsman: Serviço Secreto’, dirigida por Matthew Vaughn(‘Kick-Ass: Quebrando Tudo’) e tenta de tudo para ir ao alcance do primeiro filme que foi uma obra prima, mas acaba uma continuação mais do mesmo.

Na continuação do longa, Um súbito e grandioso ataque de mísseis praticamente elimina o Kingsman, que conta apenas com Eggsy (Taron Egerton) e Merlin (Mark Strong) como remanescentes. Em busca de ajuda, eles partem para os Estados Unidos à procura da Statesman, uma organização secreta de espionagem onde trabalham os agentes Tequila (Channing Tatum), Whiskey (Pedro Pascal), Champagne (Jeff Bridges) e Ginger (Halle Berry). Juntos, eles precisam unir forças contra a grande responsável pelo ataque: Poppy (Julianne Moore), a maior traficante de drogas da atualidade, que elabora um plano para sair do anonimato.

O filme tem uma sequência inicial com uma perseguição de carro com a polícia envolvendo Eggsy e Charlie Hesketh(Edward Holdcroft), ex Kingsman que foi rejeitado na seleção e passou a trabalhar para o Círculo Dourado, com cenas de slow motion e ação incríveis. O roteiro não acrescenta nada de novo, falta inovação na franquia e muitas coisas são repetidas no primeiro filme, a edição é exagerada, mas o filme tem ótimos aprofundamentos como Harry, SPOILER: vivido por Colin Firth foi ressuscitado no filme e teve aquela amnésia.

@20th Century Fox

Taron Egerton reprisa mais uma vez Eggsy e tem mais participação em cena, com algumas piadas do jeito jovem rebelde misturado a agente secreto. Colin Firth como Harry faz boa performance em cena e mostra que a dupla principal se torna os personagens mais queridinhos da franquia. Julianne Moore como a vilã Poppy numa interpretação forçada e brega, cujo cenário do quartel general me lembrou Westworld, série da HBO que tem um parque de diversões futurista como plano de fundo. O núcleo do Statesman, a agência secreta americana é bastante desperdiçado o potencial de personagens vivido por Jeff Bridges, Channing Tatum e Halle Berry(esta se torna uma Merlin feminina, mas tem umas pontas interessante) exceto Pedro Pascal como o agente Whisky com seus easter eggs comicos, coreografias com a corda em slow motion e uma química entre o Eggsy que rouba a cena. A participação especial de Elton John é boa, que arranca algumas risadas.

Com uma trilha sonora fantástica indie e country dos anos 80, alguns exageros e cenas bizarras, ‘Kingsman: O Círculo Dourado’ é bem abaixo que o primeiro filme, nada inovador, mas que vale uma pipoca muito boa pra assistir em cena. É mais um filme que tenta buscar dinheiro em alto potencial mas que falta criatividade a acrescentar, mas com altas doses de adrenalina, explosões e pancadaria em câmera lenta. Um bom filme.


FICHA TÉCNICA:

 

Título Original: Kingsman: The Golden Circle
Direção: Matthew Vaughn
Elenco: Taron Egerton, Colin Firth, Mark Strong mais
Gêneros:Ação, Espionagem, Comédia
Nacionalidades: Reino Unido, EUA
Data de lançamento: 28 de setembro de 2017
Duração: (2h 21min)
Sinopse: Um súbito e grandioso ataque de mísseis praticamente elimina o Kingsman, que conta apenas com Eggsy (Taron Egerton) e Merlin (Mark Strong) como remanescentes. Em busca de ajuda, eles partem para os Estados Unidos à procura da Statesman, uma organização secreta de espionagem onde trabalham os agentes Tequila (Channing Tatum), Whiskey (Pedro Pascal), Champagne (Jeff Bridges) e Ginger (Halle Berry). Juntos, eles precisam unir forças contra a grande responsável pelo ataque: Poppy (Julianne Moore), a maior traficante de drogas da atualidade, que elabora um plano para sair do anonimato.
—————————————————————————————————————————————
AUTOR:
VINICIUS MONTANO

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: