Crítica – Homem-Formiga (2015)

014

Por Vinicius Montano.

A Marvel faz uma nova leva de levar um novo tipo de super-Heróis em quadrinhos pela primeira vez nos cinemas. Pensando ser ignorado e não muito falado nos quadrinhos a produtora engaveta pela primeira vez ‘Homem-Formiga’ nos cinemas, sob a direção de Edgar Wright (dos filmes de humor negro Todo Mundo Quase Morto, Chumbo Grosso, Paul: Um Alien Fugitivo e Heróis de Ressaca) ambos lançados aqui no Brasil somente em home-vídeo. Aqui é perfeitamente conduzido por Paul Rudd, astro que alcançou a fama através de As Patricinhas de Beverly Hills e lançou boas e más comédias com o passar do tempo.

Homem Formiga nos resume a armado com a incrível habilidade de se diminuir em escala, mas aumentar sua força, o vigarista Scott Lang (Paul Rudd) deve aceitar seu herói interior e ajudar seu mentor, Dr. Hank Pym (Michael Douglas), a proteger o segredo por trás do seu espetacular traje de Homem-Formiga de uma nova geração de crescentes ameaças. Contra vários obstáculos, Pym e Lang devem planejar e executar um golpe que salvará o mundo.

A aposta do Homem-Formiga atinge bem o seu ideal, mas o roteiro peca muito na sutileza da maneira do que o filme se passa, a cena inicial dizendo que o Hank Pyn criou o Ultron, na verdade o erro está em que o Tony Stark que criou a fórmula. A história é totalmente clichê estereotipada mas dá pra levar de maneira simples e contractual, como um cara rebelde que vai preso é solto, é demitido no seu primeiro dia de emprego, tenta rever a filha cujo passa com problemas de pensão pra pagar, e depois se redime ficando totalmente previsível coisa que no enredo nos vimos este ano como Kingsman: Serviço Secreto que foi uma surpreendente obra prima de ação

007Paul Rudd tem ótimo carisma e bom humor com o papel de Scott Lang e Homem-Formiga, tem cenas impressionantes em câmera lenta quando ele se encolhe e tenata lutar contra bandidos e fugir de balas, ele andando em meio a formigas o faz aumentar o zoom. Corey Stoll como o vilão do filme Jaqueta Amarela tem uma grande atuação, não faz feio, mas esperava uma expressão assustadora, mais cumpre seu jeito de ser calculista. Os alívios comicos de Michael Pena que faz a gente rir e compensa ele roubar bastante a cena inclusive o trio de especialistas. Bons papeis de Evangeline Lilly e Michael Douglas.

Com ótimas cenas de ação, tiradas em filmes que a Marvel lançou, e uma participação especial hilária de um dos membros da Marvel, Homem-Formiga consegue se destacar em ótimos efeitos especiais, trilha sonora e cenas de tirar o fôlego, com uma excelente montagem, a direção(Edgar Wright) mostra que a visão do diretor é misturar doses de ação e comédia sem errar, como é o caso de Homem-Formiga, que faz um belo início nas HQ’s nas telonas e também encerra a Fase 2 da Marvel. Vale encolher bastante com muito humor e qualidade, apesar de não ser um excelente começo, mas cumpre o que é esperado

OBS 1: O 3D desse filme é totalmente inútil e descartável
OBS2: Tem 2 cenas pós créditos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: