‘GRINGO – VIVO OU MORTO(2018)’ – COMÉDIA MEIO ARRASTADA, MAS QUE DIVERTE.

Por: Vinicius Montano

Uma corporação farmacéutica americana. Um cartel mexicano. Tudo pode dar errado. Esse é o tema da comédia de ação ‘Gringo: Vivo ou Morto’, nossa estréia da semana dirigido por Nash Edgerton, irmão do ator conhecido ultimamente por Hollywood Joel Edgerton na qual faz parte do elenco do filme além de grandes astros e estrelas como Charlize Theron, David Oweloyo como o protagonista do filme, Sharlto Copley, Amanda Seyfried e Thandie Newton.

A história conta sobre um funcionário dedicado e marido exemplar, Harold Soyinka (David Oyelowo) leva uma vida pacata em Chicago. Enfrentando problemas financeiros, ele descobre que a empresa em que trabalha está negociando uma fusão, que pode resultar em sua demissão. Aos poucos David passa a acreditar nesta possibilidade, devido a atos suspeitos de seu chefe e “melhor amigo” Richard Rusk (Joel Edgerton). Quando Richard e sua sócia Elaine Markinson (Charlize Theron) resolvem acompanhá-lo em uma viagem de trabalho corriqueira ao México, David vê a situação como a oportunidade ideal para fingir ter sido sequestrado e, desta forma, pedir um polpudo sequestro. O que ele não imaginava era que Pantera Negra, o chefão do crime organizado local, está também atrás dele.

@Divulgação Diamond Films

A trama podemos dizer que o roteiro deixa a desejar, o desenvolvimento chega até dar sono tamanho arrastado que é, mas os diálogos com pitadas de um humor consegue tentar levantar o filme em geral, tem algumas tiradas comicas como o bandido mexicano Pantera Negra, que se a platéia ri, faz lembrar do filme da Marvel que fez sucesso recentemente no início de 2018 e a música de The Beatles ‘Let it Be’.

As atuações até que se seguram. David Oweloyo como o funcionário dedicado arranca boas risadas do público em si, parece o Didi dos trapalhões negro. Joel Edgerton como o chefe, tem participação segura em cena. Sharlto Copley como o sequestrador de Gringo, num papel divertido que rouba a cena do filme. Amanda Seyfried apesar de aparecer pouco e ser tirada de foco algumas vezes, tem uma boa caracterização. Já Charlize Theron e Thandie Newton tem seus papéis mal aproveitados.

Com uma direção boa, trama meio preguiçosa e agradfável, ‘Gringo: Vivo Ou Morto’ tem uma trama perdida, mas uma boa sacada de comédia mexicana adoidada com um humor negro na medida.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: