‘DEADPOOL 2(2018)’ CRÍTICA – MAIS AÇÃO, VIOLÊNCIA E OBRA PRIMA MELHOR QUE O PRIMEIRO

Por: Vinicius Montano

Depois que a Fox resolveu dar uma chance a Deadpool no cinema já que ele foi muito mal aproveitado em ‘X-Men Origens: Wolverine’ o estudio resolveu um filme solo dele juntamente com Ryan Reynolds no papel do mercenário tagarela lançando um filme em 2016 e surpreendeu muito o público como uma obra prima crua, violenta e divertida a nível de Quentin Tarantino e teve sucesso de bilheteria. 2 anos depois chega as telonas a continuação ‘Deadpool 2’ que traz de volta o mercenário tagarela vivido por Ryan Reynolds dessa vez dirigido por David Leitch( dos sucessos ‘De Volta ao Jogo’, ‘John Wick: Um Bom Dia Para Matar’ e ‘Atômica’). No elenco temos Josh Brolin visto atualmente em ‘Vingadores: Guerra Infinita’ como o vilão Thanos e aqui como o andróide assassino Cable do mesmo universo, mas só que um é da Marvel/Disney e outra Marvel/Fox.

A história do segundo longa mostra Deadpool (Ryan Reynolds) está de volta maior, melhor e mais engraçado do que nunca. Quando o super soldado Cable (Josh Brolin) chega em uma missão assassina, o mercenário precisa aprender o que é ser herói de verdade, recrutando pessoas poderosas, ou não, para ajudá-lo.

@Divulgação 20th Century Fox

A trama desse segundo filme, tem um início bastante promissor, com uma cena de abertura maravilhosa citando os filmes 007, Flashdance e até John Wick, o roteiro inova muito na violência gratuita e consegue aumentar o nível de violência diferente e melhor que o primeiro. no estilo de violência de filmes do Quentin Tarantino já que a direção é outra na qual torna seu filme mais violento com um humor mais pesado e cenas de sexo atenuadas. Os efeitos especiais melhoraram muito em relação com o primeiro filme, tem mais intensidade e mais explosões com cabeças esmagadas, mutilação de corpos e por aí vaí…

As atuações são espetaculares ambos seus personagens. Ryan Reynolds como Deadpool/Wade Wilson está mais em cena, se sente a vontade, faz pirueta nas cenas de ação e luta, sabe montar uma equipe de X-Force, tem suas cenas de sexo com sua namorada Vanessa vivida por Morenna Baccarin, tem mais intensidade no seu personagem e vários momentos em cena no segundo filme, melhores que o primeiro e reviravoltas que não vou soltar spoilers. Josh Brolin como Cable está excelente como o vilão principal do filme, nesse ele mostra o vilão com aquela caricatura, com piadas de clássicos filmes de ficção científica e a performance cômica isso no universo Marvel/Fox, já no universo Marvel/Disney ele faz o Thanos, uma espécie de vilão audacioso, querendo por o plano em prática de roubar suas 6 jóias do infinito e depois dar um estalar de dedos.

@Divulgação: 20th Century Fox

Os personagens do elenco da X-Force vou resumir por completo como foram: Zazie Beetz como Domino é a adição inédita para esse segundo filme, e ela que mais se destaca na trama, já que os outros membros vividos por Terry Crews, Bill Skarsgaard atualmente como o palhaço Pennywise em ‘It: A Coisa’, Rob Delaney e Lewis Tan tem pouco tempo em cena, mas cada perfil interessante e hilário. Jullian Dennison como o detento de um hospício, tem uma performance incrível cheio de surpresas.  Já os veteranos Stefan Kapisic como Collussus nesse filme ele tem mais tempo em cena do que o primeiro, e é uma espécie de tutor de Deadpool. Já Brianna Hildelbrand como a Negasonic Teenage Warhead e a novata do elenco Shioli Kutsuna como Yukio parece que temos um casal LGBT na trama, será???

A fotografia está com um contraste mais sombrio, com fundos de poço e gotas pingando nas cenas da prisão, uma trilha sonora fantástica como músicas de A-HA, Celine Dion, Cher entre outros. Podemos dizer que ‘Deadpool 2’ supera e muito o primeiro filme que foi excelente e tinha piadas sentimentalistas. Nesse novo inovam citando até super heróis da Marvel, da DC e a polêmica da compra da Fox pela Disney, citações sobre Entrevista Para o Vampiro e algumas piadas sentimentalistas, violentas e sexuais. Esse também é obra prima e supera muito o primeiro filme que foi o mesmo, e relativamente o segundo filme consegue ser melhor que o primeiro apesar da censura alta para maiores de 18 anos aqui no Brasil e não saia da sala pois tem duas cenas pós créditos sendo que a segunda cena pós crédito é excelente de tão fantástica que é.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: