CRÍTICA: X-MEN – APOCALIPSE (2016)

Por Rafael Yagami

Milhares de anos atrás existiu En Sabah Nur o primeiro e mais forte mutante de todos, traído e enterrado ele é despertado nos anos 80, com a ajuda de quatro seguidores, quatro cavaleiros ele parte para purificar o mundo de falsos deuses e doutrinas. Os X-Men diante dessa ameaça partem para impedi-lo mesmo em grande desvantagem.

A direção fica a cargo mais uma vez do verdadeiro dono desse universo, o grande Bryan Singer, quarto filme dos X-Men que dirige e esse infelizmente é o seu trabalho mais fraco. Depois do grandioso trabalho com “Dias de um futuro esquecido” a expectativa era muito grande, que não foi suprida aqui, o filme tem momentos até vergonhosos, cenas que não funcionam e o ritmo do filme é muito prejudicado por isso. A sequencia inicial entra para uma das melhores cenas da projeção, tem grandiosidade e muita personalidade, deixando o publico colado no assento.

x-men_LVJtxtG

Simon Kinberg assina o roteiro junto com a colaboração de uma galera, incluindo o próprio diretor, porém todo mundo estava maluco, o roteiro é muito muito genérico e fraco, não dá espaço para os personagens serem desenvolvidos ou trabalhados de forte conivente, não há coerência em algumas cenas. Uma pena o arco do Margneto ser tão banal, tinha a carga emocional certa, só precisava de mais tempo e desenvolvimento.  O vilão além de ser clichê e com motivações já conhecidas por todos, lembra muito o robô louco Ultron em “Os Vingadores – Era de Ultron”, longe de ser culpa do ator tudo cai sob um roteiro fraco.

Tecnicamente é muito competente, os efeitos especiais são muito presentes e na medida certa, figurino e maquiagem perfeitos, trilha sonora muito impactante e presente.

apocalypse_01

No enorme elenco temos o destaque extremo para James McAvoy e Michael Fassbender a dupla pela terceira vez assume a liderança no elenco, perfeita sincronia e presença em cena, nasceram para seus papeis. Sophie Turner conhecida por “Game Of thrones”, assume o papel da grandiosa Jean Grey, tem presença, tem carisma, só não teve tempo de desenvolvimento, aguardo ansioso pelo seu retorno nos próximos que viram. Miss X-Men Jennifer Lawrence não tem o peso como no filme anterior, porém ainda continua firme e forte no topo.  Oscar Isaac esta ótimo, porém um dos piores personagens do filme. Nicholas Hoult e Rose Byrne usam bem o tempo que tem. Olivia Munn é a maior pobre coitada do filme, aprece tipo propaganda jequiti no SBT, aparece e some do nada, a personagem só tem aquela cena do trailer mesmo, o resto não é nada. Evan Peters merece um Oscar, melhor personagem sempre, Kodi Smit-McPhee o novo noturno funciona muito bem, queremos mais desse personagem. Tye Sheridan o novo ciclope também está ótimo e por fim temos o grandioso por si só Hugh Jackman em uma pequena, porém tensa participação especial.

xmen0002

X-Men Apocalipse se consolida como o filme mais fraco da nova trilogia, com a direção mais fraca e o roteiro mais pobre, porém com um texto muito interessante e marcante nas HQs, se tivesse seguido um rumo diferente poderia ter aqui um dos melhores filmes do ano.


1937138_1065751700129841_6140431720091411646_n

Nota: 8/10

Rafael Yagami

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: