INFILTRADO NA KLAN (2018): “SPIKE LEE VOLTA A FORMA COM BRILHANTE SÁTIRA FACTUAL”

Por Eduardo Pepe

Spike Lee detém status de ícone no cinema americano. Ativista, ele se consagrou nos anos 80 e 90 com um cinema que colocava diferentes perspectivas de tratar os problemas dos negros americanos. Infelizmente, nos últimos anos ele andou em produções de sucesso mediano, como “Chi-Raq” (2015), ou grandes tragédias, como o remake de “Oldboy: Dias e Vingança” (2013). Tudo muda com “Infiltrado na Klan”, seu melhor filme em mais de 20 anos.

A trama, inacreditavelmente verídica, trata de Ron Stallworth, um policial negro do Colorado (John David Washington) que conseguiu se infiltrar na Ku Klux Klan local. Ele se comunicava com os membros por telefone ou por carta e quando precisava estar fisicamente com os membros do grupo mandava em seu lugar um colega policial branco (Adam Driver). Essa história, claro, é um prato cheio para Lee, especialista em dissecar a sociedade americana e apontar o dedo para o racismo estrutural.

@Divulgação Universal Pictures

Não faltam boas sacadas de humor. Todas, claro, recheadas de acidez que causam risos, muitas vezes, nervosos. Não é um humor inocente, muito menos sem culpa, mas tão pouco é do tipo que cai em politicamente incorreto barato. É sátira das mais mordazes e inteligentes. O elenco cai como uma luva funcionando perfeitamente em seus papéis. O papel principal cabe a John David Washington, sim, filho de Denzel, mas que aqui se vira por conta própria. O ator é carismático e natural e forma uma baita dupla com Adam Driver, o policial branco que vai em seu lugar para as reuniões presenciais. Mas todos os atores brilham, como Topher Grace, hilário e idêntico como o líder do grupo, David Duke, e Ashlie Atkinson, como uma dona de casa extremamente racista.

Sem falar que temos um dos filmes mais caprichados visualmente de Lee, que já inicia com uma cena emblemática de “E O Vento Levou…” (1939) e corta para um discurso oficial da KKK, brilhantemente feito por Alec Baldwin. Com uma montagem impecável e uma trilha criativa, “Infiltrado na Klan” é um filme totalmente conectado com seu tempo, em que o presidente americano Donald Trump recebeu o apoio do líder da KKK durante a corrida eleitoral, mas que com o passar dos anos não deve se tornar datado e, sim, registro histórico na melhor forma de cinema.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: