Crítica: Presságios de um Crime (2016)

Por Vinicius Montano

Alguns diretores brasileiros que fizeram sucesso com seus filmes no país, tentam arrumar jeito de conquistar na cidade do cinema em Hollywood e raríssimas vezes conseguimos ver isso. Como é o caso de Walter Salles que conquistou com o excelente ‘Diários de Motocicleta’ e o fraquíssimo ‘Agua Negra’. Bruno Barreto com o fiasco ‘Voando Alto’ e José Padilha com o ótimo ‘Robocop’, mas que fracassou nas bilheterias. Agora é a vez do cultuado diretor Afonso Poyart do ótimo frenético ‘2 Coelhos’ aterrisar na calçada da fama com o suspense ‘Presságios de Um Crime’ trazendo no elenco Anthony Hopkins, Colin Farrell, Jeffrey Dean Morgan e Abbie Cornish no elenco.

A trama fala Um detetive do FBI está à caça de um perigoso serial killer (Colin Farrell), que vive fazendo jogos com suas vítimas. Para capturá-lo ele busca a ajuda de um médico aposentado, Dr. John Clancy (Anthony Hopkins), especialista em jogos do tipo, mas que se afastou do trabalho após a morte traumática de sua filha. Porém, Clancy muda de ideia ao conhecer a cética parceira de Joe, a agente especial Katherine Cowles (Abbie Cornish), e ter visões perturbadoras com ela.

image

A premissa desse filme é bem aceita porque os planos do assassino é causar um tumor severo e trauma nas suas vítimas, os flashbacks dos personagens principais sofrendo qualquer tipo de desgraça, embora o roteiro do filme é totalmente clichê e descartável, na qual se torna um suspense morno, mas sem perder o medo em não acompanhar as surpresas do filme nas quais se torna muito previsível.

Anthony Hopkins tem um personagem bastante honesto em si sem surpresas, Colin Farrell faz um papel sério de um psicopata, mas tem pouco espaço em cena apesar de seus flashbacks aparecer durante a fita, o ator poderia ser melhor aproveitado em cena, Jeffrey Dean Morgan tem um personagem aceitável, seus diálogos em cena com Anthony Hopkins são comicos quando ele pede para contar uma ‘piada’. Abbie Cornish tá insossa em cena, sem carisma.

image

Presságios de Um Crime é um jogo de gato e rato simples, sem tirar nenhum defeito, uma boa direção de Afonso Poyart que pode mudar o seu foco viajado e aceleradamente frenético e fazer outros filmes na tela hollywoodiana, mas esquecível pela mídia.

_____________________________

VINICIUS MONTANO
VINICIUS MONTANO

Nota: 7,5/10

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: