Crítica: Ponte dos Espiões (2015)

Por Vinicius Montano

 

Steven Spielberg repete pela quarta vez a parceria com o astro  quando em 1998 dirigiu “O Resgate do Soldado Ryan”, trazendo um time de astros como Matt Damon, Tom Sizemore e Edward Burns (atualmente esquecidos) e até Vin Diesel (na época pouco conhecido), falando sobre a 2ª Guerra Mundial. Em 2003, com a comédia de ação “Prenda-Me Se For Capaz”, como um policial que vivia incansavelmente na cola do impostor vivido por Leonardo DiCaprio. Em 2004 com “O Terminal”, como um imigrante que é impedido de sair do aeroporto por causa de um golpe de estado no país aonde vive. E agora, no seu mais recente trabalho o filme Ponte dos Espiões.

Ponte dos Espiões é um drama que conta a história de James Donovan (interpretado por Tom Hanks), um advogado de seguros do Brooklyn que é empurrado para o meio da Guerra Fria, quando a CIA o envia para a tarefa de negociar o resgate do piloto americano de um U-2 que foi capturado.

FOR SUNDAY - Brooklyn lawyer James Donovan (Tom Hanks) is an ordinary man placed in extraordinary circumstances in DreamWorks Pictures/Fox 2000 Pictures' dramatic thriller BRIDGE OF SPIES, directed by Steven Spielberg. FILM STILL - PHOTO: Jaap Buitendijk

Os roteiristas Matt Charman e os irmãos Ethan e Joel Coen, transformaram essa experiência de Donovan em uma história inspirada em eventos reais, que captura a essência de um homem que arriscou tudo nessa jornada entregando uma sobriedade mas empolgante cara a cara com o advogado e o cliente, uma fotografia com enquadramentos muito interessantes sobre a Guerra Fria e uma fotografia impressionante que aprofunda o sofrimento de pessoas nas mãos dos nazistas.

Tom Hanks atua com muito carisma e com um papel intenso em que o personagem vai percorrendo outras partes do mundo para libertar pessoas que cometeram crimes de espionagem. Mark Rylance como o russo Abel Rudolf tem sua química bastante intensa e amigável, com uma mensagem de livre arbítrio ‘Homem Persistente’. Com uma direção de Spielberg pra não dar defeito em drama de assuntos a moda antiga, Ponte dos Espiões é uma ligação bastante realista, com um socialismo irracional, e um ritmo que parece que passa rápido os fatos, mas proporciona uma rica produção de sobriedades nos conflitos e troca de acusações entre espiões soviéticos num filme que te espera a cada momento de virada em uma audiência bastante polêmica.

VINICIUS MONTANO
VINICIUS MONTANO

 

Nota: 9/10

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: