CRÍTICA: O ASSASSINO: O PRIMEIRO ALVO (2017)

Por Cadu Costa

 

“AH, OS EUA! MEUS HERÓIS!”
Estreou nesta quinta (21), ‘O Assassino: O Primeiro Alvo’ . Um filme de ação/espionagem no melhor estilo Jason Bourne de ser. Mas, é bom? Ou apenas mais um filme esquecível do gênero? Vamos tentar responder nas próximas linhas.
O filme, dirigido por Michael Cuesta a partir de um roteiro baseado no livro ‘American Assassin’ de Vince Flynn, mostra mais habilidade do que personalidade. Sim, porque as cenas de ação são bem escritas, bem executadas mas e o motivo? E a motivação do personagem? Então, vamos lá…
@DIVULGAÇÃO PARIS FILMES
O Assassino’ conta a história de  Mitch Rapp (Dylan O’Brien) é um rapaz que perde sua namorada num ataque terrorista na praia. Após a dor da perda, ele usa isso como motivação para treinar por 18 meses uma forma de vingança. Defesa pessoal, técnicas de tiro, línguas, tudo para matar o líder terrorista responsável pelo ataque. A CIA o monitora vê nisso uma oportunidade de criar um assassino profissional. Uma diretora da agência americana chama o veterano Stan Hurley (Michael Keaton) pra treiná-lo e, juntos, investigam um padrão na onda de ataques a militares e civis ao redor do mundo.
Então, como a grande maioria dos filmes de ação, nada faz muito sentido. Tudo é motivo para trocas de tiros, porrada e bombas contra os inimigos dos EUA, que, aliás, mais uma vez, como sempre, por quê não, salvam o mundo.
@DIVULGAÇÃO PARIS FILMES
O lance aqui é o entendimento do público ou não à cultura do absurdo. Os desenvolvimentos de enredo são muito surreais apenas para focar (de novo) na correria, perseguições de carros, tiroteios, mais porrada, mais tiros e uma geografia e diplomacia meio burra onde árabes, iranianos, russos e até italianos são os culpados por todos os males do mundo e a coragem norte-americana a única salvação de todo o resto. Isso sem falar numa potência meio chocha de uma ogiva nuclear.
O elenco está até bem afinado. Dylan O’Briennen e Michael Keaton estão em boa sintonia e as coisas fluem até  bem com os outros personagens. Não gostei muito da motivação do vilão de Taylor Kitsch, mas a atuação dele entregou o necessário pedido.
 
‘O Assassino: O Primeiro Alvo’ é um filme de ação com os mesmos clichês de sempre mas que, no entanto, diverte como qualquer filme do gênero. Serve bem os fãs. Serve bem para os americanos Pró-Trump. E serve muito bem pra passar no Domingo Maior. E só.

FICHA TÉCNICA:

 

O ASSASSINO: O PRIMEIRO ALVO (American Assassin)
DIREÇÃO: Michael Cuesta
PRODUÇÃO: EUA, 2017, 14 anos
ELENCO: Dylan O’Brien, Michael Keaton, Taylor Kitsch
DURAÇÃO: 115 min
GÊNERO: Ação
DISTRIBUIDORA: Paris Filmes
ESTRÉIA: 21/09/2017
—————————————————————————————————————–
AUTOR:
CADU COSTA
Lapa – 21 97945-0704

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: