CRÍTICA: Invasão de Privacidade(2016)


Hackeie a conta de quem traduziu isso

Do diretor John Moore responsável pelos desastrosos Max Payne, baseado num vídeo game e Duro de Matar: Um Bom Dia Para Morrer, clássico de sucesso de ação dos anos 80 e 90 que chegou ao seu quinto filme, agora ele tá nas telonas no suspense cibernético ‘Invasão de Privacidade’ cujo protagonista já foi lenda dos filmes de ação. Pierce Brosnan que foi o agente 007 James Bond.

Mike Ryan (Pierce Brosnan) é um homem de negócios bem-sucedido, mas que possui um mal relacionamento profissional com um jovem consultor de informática. O rapaz começa a assediar a filha de Mike e passa a usar suas habilidades com a tecnologia para ameaçar os negócios, a família e a vida dele.

i-t-imagem

A trama é subjetiva, mostra a tecnologia da informática hoje em dia como smarthphones, tablets e até câmeras portáteis e sensores digitais, a premissa é batida sem nenhuma novidade, mas o desenrolar da história dá pra se envolver super bem a pegada do Big Brother do mal. O roteiro apesar de ser raso sem grandes novidades dá um upload bem acelerado embora tenha furos bestas.

Pierce Brosnan entrega um proagonista seguro que dá o seu melhor e leva toda a trama nas costas. Já o antagonista James Frecheville como o técnico de informática que coloca a vida do protagonista num verdadeiro pesadelo tem uma atuação apática e indolente nas quais só leva surra do protagonista sem desejar uma reação. Já o elenco de apoio está totalmente descartavel em cena como Anna Friel e Mikhail Nyqvist num papel desperdiçado que parecia uma participação especial.

it-pho

Por fim, Invasão de Privacidade é um suspense high tech em que seu Big Brother na sua casa vira um verdadeiro terror traumático, mas desaba no seu terceiro e último ato, mas nada que incomode o telespectador que deixe de entreter esse suspense nonsense a la informática.

 

14650229_10210615190959166_7662424339570058527_n Nota: 6/10

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: