CRÍTICA: ‘HAN SOLO: UMA HISTÓRIA STAR WARS(2018)’ – A PRIMEIRA IRREGULARIDADE DA LUCASFILM NAS MÃOS DA DISNEY

Por: Vinicius Montano

A franquia Star Wars nas mãos da Disney só deu recordes absolutos de bilheteria. Já tivemos o episódio 7 em 2015, o derivcado Rogue One em 2016 e o episódio 8 em 2017. Em 6 meses após o lançamento do episódio 8 nos cinemas, agora lançamos o segundo derivado da franquia Star Wars dessa vez focado no mercenário Han Solo. Em ‘Han Solo: Uma História Star Wars’, dirigido por Ron Howard(franquia ‘O Código da Vinci’, ‘Apollo 13’, ‘Uma Mente Brilhante’ e ‘Cocoon’), antes era pra ser dirigido pela dupla Phil Lord e Christopher Miller(responsáveis pela duologias: a animação ‘Tá Chovendo Hambúrguer 1 e 2’ e a comédia de ação ‘Anjos da Lei 1 e 2’), mas foram demitidos da Lucasfilm por diferenças criantivas. No elenco temos Alden Ehrenreich no papel do mercenário Han Solo na versão jovem, Donald Glover como o contrabandista Lando Calrissian na versão jovem. No elenco temos Emilia Clarke, Woody Harrelson, Thandie Newton e Paul Bettany no elenco.

 O longa fala sobre as aventuras do emblemático mercenário Han Solo (Alden Ehrenreich) e seu fiel escudeiro Chewbacca (Joonas Suotamo) antes dos eventos retratados em Star Wars: Uma Nova Esperança, inclusive encontrando com Lando Calrissian (Donald Glover).
@Divulgação Disney
O filme tem um abaranhado de problemas, na qual teve que passar por refilmagens e até o ator Alden Ehrenreich teve que passar por aulas de backing vocal para redefinir suas expressões, enfim o filme torna um verdadeiro desastre completo. O seu roteiro é bem entediante, arrastado que não leva a lugar nenhum. As cenas de ação tem uma ou outras interessantes. os efeitos especiais são berrantes de tão péssimos que é. A trilha sonora é muito fraca, não dá um tom mais bruto, coisa que John Williams faz a nota musical ficar bruta, até Michael Giachhino que compôs Rogue One fez muito bonito, as notas musicais fizeram ficar o telespectador sentir a emoção. Sua fotografia tem um contraste escuro muito borrado e e mal sintonizada.
As atuações são medíocres com exceção de dois personagens. Alden Ehrenreich como Han Solo jovem está péssimo, não convence de jeito nenhum, foi o maior erro da Disney ter selecionado ele para esse papel, poderia antes citado ter ficado com Anthony Grummer, que fez a versão mais jovem de Harrison Ford em ‘A Incrível História de Adaline’. Nem a versão jovem do seu fiel escudeiro Chewbacca até tenta arrancar graça do público como seu uido, mas não funciona. Emilia Clarke como a Qi’ra, numa atuação muito apática, o interesse amoroso de Han Solo não possui nenhum tipo de química. Woody Harrelson como Tobias Beckett, numa atuação ok, seu personagem serve como uma espécie de tutor para o Han Solo. Thandie Newton num papel desperdiçado que não sei como foi para ali. Paul Bettany como o vilão do filme, o mafioso Dryden numa atuação caricata que chega até constranger, sem nenhuma motivação.
@Divulgação: Disney

E a melhor coisa desse filme está aí. A atuação de Donald Glover como a versão jovem do Lando Calrissian, que atuação boa, cheia de carisma, uma brecha muito importante para a Lucasfilm puxar um novo derivado do Lando para as telonas.

‘Han Solo: Uma História Star Wars’, é um derivado muito irregular, bem decepcionante em vários sentidos, na qual ficará muito fácil você esquecer depois que sair das salas de cinema. Enfim a Disney errou feio pela primeira vez com a franquia Star Wars, na qual a direção é cheia de buracos absurdos e idéias sem sentido nenhum. Fraqúissimo por sinal. Já vou encaixar na lista de piores de 2018.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: