Crítica: Deadpool (2016)

Por Vinicius Montano

 

A Fox e a Marvel depois do catastrófico “Quarteto Fantástico” em 2015 agora acerta a mão em cheio. No filme solo Deadpool, trazendo Ryan Reynolds no papel do personagem que teve uma participação fracassada em X-Men Origens: Wolverine, e resolveram tentar fazer filme solo o que demorou bastante tempo por 7 anos e finalmente saiu da gaveta. No elenco temos a brasileira Morena Baccarin, Ed Skrein, Gina Carano, Brianna Hildebrand e grande elenco sobre a direção de Tim Miller.

Deadpool_Negasonic_Teenage_Warhead

Ex-militar e mercenário, Wade Wilson (Ryan Reynolds) é diagnosticado com câncer em estado terminal, porém encontra uma possibilidade de cura em uma sinistra experiência científica. Recuperado, com poderes e um incomum senso de humor, ele torna-se Deadpool e busca vingança contra o homem que destruiu sua vida.

O filme traz um roteiro afiado com humor negro pesado, no estilo bad-ass de ser, o super-herói no melhor jeito fodão, piadas insanas e uma perfeição que você não para de rir por um minuto sequer, uma edição inteligente cheia de mensagens de palavrão e linguajar para não botar defeito.

Os efeitos especiais são irados principalmente nas cenas de câmera lenta aonde o sangue corre solto como disparo de arma de fogo em que a cápsula da bala cai no chão e o sangue borrando. A direção de Tim Miller mostra tamanha competência que mistura elementos até dos X-Men e filmes como 127 Horas e Busca Implacável, personagens do próprio Ryan Reynolds em Lanterna Verde, e revistas de o homem mais galã do mundo citando ele mesmo e Bradley Cooper.

A atuação de Ryan Reynolds me impressionou muito o qual Deadpool pode se tornar uma nova chance e um novo reinício na carreira de ator que só contracenava filmes bocós de comédia e um super herói muito humorado de forma exagerada. Morena Baccarin como seu par romântico você diverte com a química deles e com diálogos fúteis. Ed Skrein e Gina Carano como os vilões do filme você se diverte com uma ótima atuação deles em cena. Os personagens Colussus e Negasonic Teenage Warhead roubam bastante a cena com uma linguagem bastante afiada homenageando os X-Men.

Por essa e outras que Deadpool foi a primeira grande surpresa positiva de 2016, com um super-herói com a metalinguística muito ousada e cheia de estilo fodão e sexy, agora a Fox conseguiu um filme que trará muito sucesso de público afora, com perfeitas cenas de ação no momento certo

VINICIUS MONTANO
VINICIUS MONTANO

Nota: 10

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: