CRÍTICA: DE ONDE EU TE VEJO (2016)

Por: Rafael Mayrink

De forma leve e divertida De onde eu te vejo mostra as dificuldades de amar depois de tantos anos juntos, mas também como este amor ainda esta nos pequenos detalhes esquecidos.

D027_C006_05028N-foto-por-Alexandre-Ermel1

Esta comedia romântica, bastante divertida, retrata a história de Regina (Denise Fraga) e Fábio (Domingos Montagner) que decidem se separar após vinte anos de casamento. Ele se muda para o outro lado da rua, mas os dois continuam próximos, têm uma filha adolescente e vigiam-se pelas janelas.

Um pouco diferente dos filmes dos gênero visto ultimamente, este consegue agrada pela sua história simples e por causa de uma direção competente, que não esta querendo impressionar, mas mostrar que pode se contar algo e ao mesmo divertir.

de-onde-eu-te-vejo-carro

O elenco esta muito bem. Fraga está encantadora, sua personagem passa por uma mudança significativa, e os momento que ela recorda seu passado, cada escolha, sem precisar dizer em palavras, mas através do olhar e no modo de expressar. Montagner está muito a vontade e ele rouba muito das cenas, pois consegue ser divertido e presente sem precisar se caricato. Mas o filme funciona quando os dois estão juntos. A química entre eles está incrível, sendo os melhores momentos do filme. Vale destacar também Manoela Aliperti, que faz o papel de Manu, a filha do casal, aparecendo pouco, mas destacando-se em todos eles.

Ótimos diálogos e momentos bem engraçados são méritos do roteiro, que também consegue ser bastante eficiente em mostrar a construção dos personagens. E visto como os pequenos detalhes são essenciais em um relacionamento duradouro e é claro as dificuldades de recordar dos motivos de terem chegado ali juntos. O longa possui personagens de mais, e alguns deles estão ali apenas para dizer o que o publico já percebeu, isso atrapalha a experiência e faz você querer ver mais sobre o casal, e por conta disse ele poderia ter uns dez minutos a menos e a história ainda conseguiria ser bem contada.  Enquanto a fotografia é belíssima, mostrando uma cidade de São Paulo e toda sua beleza. A trilha sonora é boa, mas nada marcante.

maxresdefault

Com um bom elenco, e mesmo que tenha uma história previsível. De onde eu te vejo diverte e é um ótimo passa tempo para assistir acompanhado.

————————————————————————————————————————————–

Rafael Mayrink
Rafael Mayrink

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: