CRÍTICA: CASAMENTO DE VERDADE (2016)

Por Rafael Yagami

Jenny é uma mulher adulta e determinada que sofre muita pressão de sua grande família para se casar. Vivendo a base de mentiras e falsos relacionamentos, Jenny finalmente cansada dessa realidade anuncia que irá se casar, porém com uma mulher. Jenny agora terá que lidar com o preconceito de alguns e as dificuldades de aceitar esse fato de alguns membros da sua família.

Mary Agnes Donoghue assume a direção, aqui em sua segunda experiência na função, a anterior foi nos anos 90 foi com o drama “Paraiso” estrelado por Melanie Griffith e Elijah Wood, aqui temos um trabalho muito insosso e inodoro. Começando pelo ar de “já vi isso antes e de forma melhor”, a diretora até foca no preconceito familiar e em assuntos mais relevantes, porém sempre de forma artificial. O jogo de câmera é simples, o ritmo é falho, mesmo sendo um filme pequeno o publico sente o incomodo de ir até o final da projeção.

maxresdefault

No roteiro que também foi escrito por Mary, na qual função onde tem mais experiência, outra falha grande em apostar em uma trama pobre e com personagens tão superficiais. O roteiro até tenta jogar uma critica social e um questionamento, mas tudo muito pobre e com pouca técnica.

No elenco temos a bela Katherine Heigl no papel principal, tentando sem sucesso dar emoção a personagem, Alexis Bledel vive a futura esposa de Jenny, outra personagem super ultra mega genérica. Grace Gummer, a filha da Meryl Streep, com sua já batida cara de alguém revoltada com a vida. Tom Wilkinson e Linda Emond tentam e conseguem através de sua vasta experiência tentar dar mais força a trama.

d4b7a5c1-03bb-4755-a042-f1ff34878a12-2060x1236

Jenny’s Wedding no original foi um total fracasso de criticas e bilheterias nos Estados Unidos, chega agora as terras nacionais tentando atrair o publico, no fim se prova uma tarefa difícil. Tem uma proposta boa, mal executada, mal escrita e mal finalizada, uma fita totalmente esquecível.


13141074_1095786330459711_803005385_n

Rafael Yagami

Nota: 1/10

1 thought on “CRÍTICA: CASAMENTO DE VERDADE (2016)

  1. Gostei bastante do fato de que é um dos poucos filmes que eu assisti que a abordam a homossexualidade feminina desta forma. Katherine Heigl é um das minhas atrizes preferidas, acho que ela é completamente talentosa, vi sua atuação em Paixão Obsessiva e houve uma cena que me comoveu. Eu vi que vão transmiti-la em TV deixo o link com a informação se a querem ver.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: