CRÍTICA: A MÚMIA (2017)

Por Vinicius Montano

 

Depois do lançamento da trilogia A Múmia de 1999 até 2008, tivemos do protagonista canastrão que diverte do Brendan Fraser, do medo, simples e de tom de um verdadeiro vilão malvado do Imothep. E por último e não menos importante: O Escorpião Rei vivido por Dwayne Johnson na qual ganhou um filme solo e fama em Hollywood. Agora ‘A Múmia’ retorna aos cinemas mundiais em formato de reboot e um novo universo cinematográfico da Universal Pictures de deuses e monstros que é iniciado nesse filme.  O longa vai iniciar uma série de filmes de monstros da Universal, que espera construir um universo cinematográfico interligando personagens como Drácula, Frankenstein, Van Helsing e outros.

A história conta o que ocorre nas profundezas do deserto, uma antiga rainha (Sofia Boutella) cujo destino foi injustamente tirado está mumificada. Apesar de estar sepultada em sua cripta, ela desperta nos dias atuais. Com uma maldade acumulada ao longo dos anos, ela espelha terror desde as areais do Oriente Médio até os becos de Londres.
© Universal Pictures International Switzerland. All Rights Reserved.
Sob a direção Alex Kurtzman, produtor da nova franquia Star Trek nos dois primeiros filmes, a direção mostra uma introdução interessante do novo universo, mas não consegue ter firmeza nas cenas de ação que são péssimas, uma ou outra presta, e o roteiro parece que foi feito as pressas por uma semana pra deixar o filme bonitinho, a edição passa totalmente despercebido, os efeitos especiais ficaram muito ruins e o enredo parecia Missão Impossível: Protocolo Fantasma.
Tom Cruise não foi convence no papel, parece um imortal que quase aos 55 anos corre muito e dispensa dublês em cenas mais perigosas, mas se fosse um Ryan Gosling, Jared Leto, Ryan Reynolds ou astros dos 30 e poucos anos poderia caber algo, mas tem uma chave a ser aberta que não posso soltar spoiler. E faz as mesmas caras e bocas de sempre. Sua parceira de cena Annabelle Wallis é uma das protagonistas que possui até carisma, em seguida temo o ator Russell Crowe como o Dr. Jekyll onde é uma preparação do que está por vir no universo Dark Universe. outro destaque é a atriz Sofia Boutella como a vilã do título, a múmia Ahmanet. Ela tem uma boa performance e também uma boa coreografia, mas não ao mesmo brilho do Imhotep.
© Universal Pictures International Switzerland. All Rights Reserved.
A Múmia até que não foi tão ruim como eu esperava que fosse, mas ainda assim tem muito o que melhorar na franquia caso o longa venha a ter continuação nos cinemas e também a introdução ao Dark Universe. Quem sabe nos próximos filmes do novo universo tudo se acerte.
____________________________________________________________
AUTOR DO TEXTO:
VINICIUS MONTANO

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: