Contatos Imediatos do Terceiro Grau (1978)

No “Domingos Clássicos” de hoje, minha indicação é “Contatos Imediatos de Terceiro Grau”

z1

O filme tem um ar de aventura, além de uma boa dose de teoria da conspiração. É impossível não compartilhar com Roy Neary o desejo de ver de perto os seres de outro planeta e descobrir se eles têm algo bom a nos oferecer. É com surpresa que presenciamos uma mudança de tom. Inicialmente, há um grande mistério e um receio de que os alies possam ser violentos, mas aos poucos vamos compreendendo a verdadeira natureza deles, culminando naquela inesquecível sequência em que ocorre a comunicação através da música. Existe ali uma leveza e ar um de esperança comovente, que se contrapõe às tensões da época. O roteiro original de Contatos Imediatos de Terceiro Grau foi escrito por Paul Schrader, mas como ele foi bastante modificado por Steven Spielberg o próprio Schrader solicitou que seu nome fosse retirado dos créditos do filme. Como era preciso colocar alguém no crédito de roteirista, Spielberg colocou seu próprio nome.

z1

Em 1977 John Williams acabou não levando o Oscar por Contatos Imediatos de Terceiro Grau, apesar de ser uma de suas trilhas mais icônicas. Aqui a música não só ambienta o filme, como também faz parte da narrativa, sendo usada como meio de comunicação entre os humanos e seus visitantes.

Em uma pequena cidade americana vive Roy Neary (Richard Dreyfuss), um chefe de família que, ao persentir a chegada de alienígenas, tem o seu comportamento alterado. Ele fica obcecado pela ideia e começa a investigar a situação, buscando o local de contato dos ET’s. Como ele, diversas outras pessoas sentem a presença extraterrestre e rumam para o local do pouso da nave.

______________________________________________________________________

z33

Igor Quadros

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: