BLADE RUNNER- 2049: “UNIVERSO SOMBRIO EM UM AVANÇO DIGITAL PÓS APOCALÍPTICO”

Por Alysson Melo

 

” Universo sombrio em um avanço digital pós apocalíptico”.

 

Muito se falou sobre em continuar essa franquia desde a época ao qual o primeiro longa foi lançado “Blade- O caçador de Androids (1982) sob as mãos do cultuado Ridley Scott e de como essa história poderia ganhar uma sequência e eis que 15 anos depois, chega ao mercado sob as mãos de Denis Villeneuve que nos trouxe o excelente “A Chegada (2016)” com uma história que dá continuidade ao primeiro filme e trazendo um novo patamar ao filme cult clássico e aclamado pelo público e fãs.

Se passando na cidade de Califórnia, no ano de 2049, após 30 anos dos eventos do primeiro longa. Após os problemas enfrentados com o Nexus 8, uma nova espécie de replicantes é desenvolvida, de forma que seja mais obediente aos humanos. Um deles é K (Ryan Gosling) um blade runner que caça replicantes foragidos para a polícia de Los Angeles. Após encontrar Sapper Morton (Dave Bautista) K descobre um segredo, a replicante Rachel (Sean Young) teve um filho, mantido em sigilo até esse momento. A possibilidade de os replicantes se reproduzam pode desencandear uma guerra deles com os humanos, o que faz com que a tenente Joshi (Robin Wright) chefe de K, o envie para encontrar e eliminar a criança.

@Sony Pictures

No elenco temos o protagonista Ryan Gosling que vive o personagem K, apesar do ator possui presença em cena, a atuação dele é a esperada e sem muitas surpresas, apenas efetuou um trabalho ok. Seu parceiro de cena o ator Harrison Ford ele apesar de não ser o foco da narrativa, ele está muito bem e dá pra matar as saudades e viver a nostalgia de ver novamente o seu personagem Rick Deckard. Dando continuidade as atuações temos o ator Jared Leto que faz o personagem Niander Wallace, o papel dele está bem genérico e fora do tom, o ator não conseguiu entregar um bom trabalho e deixou bastante a desejar. As novas adições ficam a cargo de Robin Wright como a Tenente Joshi que faz um bom trabalho aqui, trazendo todo o seu carisma e forte presença . A atriz Ana de Armas que vive a Joi ela traz uma atuação dentro dos parâmetros e eu particularmente não conhecia o trabalho dela, ela que tem poucos trabalhos no currículo, seu filme mais famoso é o “Cães de Guerra” (2016) e a última não menos importante tem a Sylvia Hoelks que faz a vilã no filme a personagem Luv, ela é aquela mulher destemida, corajosa e confiante que começa na história bem mansa, mas que aos poucos vai mostrando toda a sua cara e seu lado mau caráter em busca de passar por cima do que ela tiver que passar para chegar ao seu objetivo final. Sylvia que aqui faz o seu primeiro grande papel em hollywood, a atriz que só tinha feito pequenas participações em filmes independentes.

O roteiro é comandado pelo Michael Green que nos trouxe o excelente “Logan” no começo desse ano e a volta de Hampton Fancher que escreveu o roteiro do filme clássico. O enredo ele mostra um mundo moderno e pós apocalipto em 2049, onde existem os blade runners que são caçados pela organização Wallace. O longa possui uma história simples e que vai crescendo gradativamente conforme o tempo do filme vai avançando. Muitos elementos presentes no longa anterior estão presentes aqui, assim como o uso da tecnologia artificial em dar vida a seres programados e idealizados em formas de holograma e digital para dar realidade a esse universo futurístico. A continuidade mostra os replicantes onde eles são criados e desenvolvidos para não ter alma e assim poder trabalhar com pulso firme e agir com total frieza e crueldade.

@Sony Pictures

O que tem de mais interessante é ver esse mundo onde tudo é digital e envolve tecnologia de ponta, seja nas ruas, casas, empresas e até mesmos nos carros e aeronaves que funcionam pelos ares, nesse cenário assim como no primeiro filme apresentar marcas e empresas já faz parte da marca registrada Blade Runner, onde vemos vários easter eggs  da marca Sony, que é a distribuidora oficial e também outras marcas como Peugeot e Coca Cola que aparecem entre os prédios enormes e iluminados, boa parte em cores de neon e tons coloridos.

A fotografia é um dos destaques por possuir um lado jovial e sombrio com cores claras em determinados momentos e tons mais brandos e escuros em outros trazendo uma boa combinação de cores e o ar futurístico que o longa quer aparentar. A trilha sonora é outro trunfo por possuir no projeto o trabalho do excelente Hans Zimmer que só esse ano esse é o seu terceiro projeto, anteriormente esteve em “Dunkirk” e “O Poderoso Chefinho” A trilha ela combina perfeitamente em plena harmonia com o tempo do filme em sons mais graves e altos e músicas com toques mais fortes e atemporais dando aquela tensão, apreensão e aflição para  as situações decorridas na narrativa.

@Sony Pictures

Blade Runner definitivamente é um ótimo filme, que não só deu uma boa continuidade a história original, como deu um novo significado para a franquia que mesmo após quinze anos de diferença de um filme pro outro resistiu com o tempo, e nos trouxe um excelente trabalho de montagem, direção, efeitos especiais, fotografia e trilha sonora. O ponto negativo ao meu ver talvez seria no desperdício de tempo em repetir algumas cenas já apresentadas, assim como o tempo de duração total do filme que deu um leve cansaço em alguns momentos, mas no geral a história é tão envolvente que faz com que isso seja um mero detalhe que não compromete a obra de maneira alguma. É um longa que pode até não fazer sucesso como os produtores almejam, mas entre o público que gosta e aprecia uma ótima ficção cientifica e aqueles que gostam de filmes nessa pegada futurista, o longa deixa brechas para uma possível sequência que espero que só seja feita se houver uma boa história que não estrague com as duas apresentadas ate aqui, que ficarão eternizadas a nível que mesmo com o tempo , não serão esquecidas.


FICHA TÉCNICA:

Data de lançamento: 5 de outubro de 2017 (2h 43min)
Direção: Denis Villeneuve
Elenco: Ryan Gosling, Harrison Ford, Jared Leto mais
Gêneros: Ficção científica, Suspense
Nacionalidade: EUA
Distribuição: Sony
—————————————————————————————————————————————
AUTOR:
ALYSSON MELO

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: