BIO: “É UM INUSITADO FALSO DOCUMENTÁRIO QUE ACOMPANHA TODA A VIDA DE UM PERSONAGEM DESDE ANTES DELE NASCER”

São mais de 45 atores e a esmagadora maioria deles não contracena entre si. Trata-se de um formato inusitado em que os atores conversam com a câmera como se estivesse em documentário sobre a vida de alguma personalidade famosa. E, de certa forma, estão, porém, trata-se de um personagem ficcional. Outro detalhe notável é que o personagem em si não tem direito a fala, somente as principais pessoas que passaram em sua vida que podem falar sobre ele. Em paradoxo, ficamos sabendo tudo sobre o personagem, mesmo sem nunca o ver em cena.

Maria Fernanda Cândido: uma das mulheres da vida do protagonista

Acompanhamos depoimentos de alguns anos marcantes na vida do protagonista, começando por sua concepção até a sua morte. E ele atravessa mais de 100 anos de vida. Aqui, nota-se um olhar para os detalhes da vida, não só para os grandes acontecimentos e as coisas se voltam mais para como aconteceu do que o que propriamente.

A direção se alterna entre o formato de documentário como se fosse de verdade, com os atores falando de frente a câmera e o filme alternando depoimentos, com alguns momentos de encenação, que representam normalmente algum ponto da trama. Essas encenações, por sua vez, parecem ter uma forte relação com o teatro pelo uso de cenários simbólicos e personagens interagindo sozinhos. Mas tudo cabe na proposta do diretor.

O diretor Carlos Gerbase com seu Kikito de Melhor Filme pelo Júri Popular no festival de Gramado 2017

Recheado de bom humor, os depoimentos são fortemente carregados de deboche, ironia e acidez. Mesmo nos momentos mais dramáticos, o roteiro guarda alguma dose cômica. E está aí o trunfo do filme que assim consegue dinamizar o filme na maior parte do tempo. Infelizmente, a duração pesa um pouco em sua parte final, sobretudo, com a aparição de elementos de ficção-cientifica que soam deslocados à primeira vista. Entretanto, permanece como uma obra de experimentação que resulta dos mais simpáticos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: