Bingo – O Rei das Manhãs representará o Brasil no Oscar 2018

Depois de ser escolhido para representar o Brasil no Goya, principal premiação do cinema Espanhol, o filme de Daniel Rezende foi escolhido para representar o país no Oscar, a maior premiação de cinema do mundo. O longa já estava entre os favoritos, mas tinha, pelo menos, três concorrentes fortes e de peso: “Como Nossos Pais”, de Laís Bodansky, premiado em Gramado e elogiado por sua passagem em Gramado, “O Filme da Minha Vida”, de Selton Mello, e “Gabriel e A Montanha”, de Felipe Barbosa, premiado na Semana da Crítica em Cannes. O anúncio foi feito na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, no fim da manhã desta sexta-feira (15). Esta foi a primeira vez que uma comissão montada pela Academia Brasileira de Cinema definiu a escolha do representante. Anteriormente, o comitê era formado pelo Ministério da Cultura, o que gerava protestos de escolhas consideradas mais políticas que artísticas.

O longa selecionado é dirigido por Daniel Rezende, editor de filmes de fora como “A Árvore da Vida” e “Diários de Motocicleta”, que já foi indicado como editor por seu trabalho em “Cidade de Deus”. Em sua estréia na direção, ele conta uma história baseada na vida de Arlindo Barreto, que viveu a primeira versão palhaço Bozo na televisão brasileira, mas por questões de contrato foi obrigado a não revelar que era ele que vivia o popular personagem do progama infantil. Durante os anos 80, ele viveu momentos de excesso tendo se viciado em álcool e drogas ilícitas. Vladmir Brichta faz o papel principal e no elenco ainda tem participações de destaque de gente como Leandra Leal, Ana Lúcia Torre e Emanuele Araújo, que interpreta a cantora Gretchen.

Ainda inédito no exterior e em cartaz nos cinemas brasileiros, “Bingo” conta com uma aclamação da crítica nacional que coloca o longa como a melhor cinebiografia nacional em muitos anos e um dos melhores filmes do ano. Vladmir Birchita assim como o resto do elenco foram muito destacados positivamente. Como trunfo para a campanha, o filme conta com a experiência de Daniel Rezende no exterior, já que ele é editor de filmes americanos, como, por exemplo, o último “Robocop”. O palhaço Bozo é marca americana e por questões de direitos autorais, o filme trocou o nome por Bingo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: