BIG LITTLE LIES – PRIMEIRA TEMPORADA

Por Rafael Yagami

Ambientada numa universo de mulheres com classe media alta, Big Little Lies acompanha três e distintas mães que irão fazer de tudo para proteger seus filhos e seus egos. Abordando divorcio, violência domestica, estupro e bullying a série abre diálogos e não tem medo de jogar na cara do espectador toda a podridão escondida nessas belíssimas fachadas de mansões.

Baseada no best-seller de Liane Moriarty a nova minissérie da HBO foi um projeto dos sonhos produzido por Reese Witherspoon e Nicole Kidman que ofereceram o projeto ao canal Premium. A direção de Jean-Marc Vallée foi presente em todos os episódios que comandou, conhecido por “Clube de Compras Dallas” e “Livre” já provou ter um excelente olhar para interações humanas e tudo fica mais claro ainda aqui com a arte de fazer apenas diálogos e discussões serem arrepiantes.

David E. Kelley foi o responsável pelo roteiro e em matéria de adaptar a essência da obra original o objetivo foi atingido. No principio pode ser considerado um texto que tenta ganhar fama jogando uma mulher contra a outra, mas o desfecho reservado para todos é arrebatador. É um texto maduro que tenta passar uma mensagem a cada episódio: confiança nas suas escolhas, forças para mudar de vida e um choque de realidade são alguns dos temas presentes em praticamente todos os momentos.

Planejada e executada como uma minissérie de sete capítulos de uma hora cada, a produção tem o mérito de ter um ritmo mais lento, visando fazer o espectador se familiarizar com seus personagens e suas rotinas. Não tem medo de deixar todos com os cabelos em pé, sempre uma nova suspeita e sempre um novo possível culpado, deixando para resolver tudo no seu excepcional episódio final.

Abrindo o elenco de divas temos Reese Witherspoon que inicialmente se mostra uma personagem em busca de holofotes para si mesma, é preciso tempo para sentir algo por sua personagem que no final se mostra tudo menos perfeita. Nicole Kidman é o deus vivo e onipresente na série, seu desempenho choca a todos com suas cenas quentes e extremamente tristes, uma personagem que luta contra seus demônios para manter sua imagem perante a sociedade. Fechando o trio principal Shailene Woodley entrega seu melhor trabalho até agora, vitima de uma atrocidade convence ao viver uma mulher em busca de um novo, mas o passado sempre tenta puxa-la para trás.

Laura Dern tem a personagem que mais passa por mudanças na trama, no começo seria válido taxá-la como a malvada da história, mas conforme a fita anda todos nós se identificamos com ela em algum momento e Zoë Kravitz tem um desempenho maduro para uma atriz tão jovem, protagoniza uma cena que fará você pular da cadeira. No elenco masculino o destaque vai para Alexander Skarsgård, conhecido por “True Blood” é o pior personagem visto na tevê nos últimos anos, cínico e calculista ao extremo, fruto de um grandioso desempenho. Adam Scott e James Tupper protagonizam atritos/tretas para a alegria do espectador e o jovem Iain Armitage é o destaque no elenco infantil (maravilhoso por sinal) olhar penetrante e semblante alegre fazem a todos se apaixonarem quando temos esse incrível ator mirim em cena.

Big Little Lies foi feita para chocar e marcar presença, até o momento fechada com apenas uma temporada, a escolha mais sábia a ser feita, o desfecho encerra todas as suas tramas passando uma mensagem clara para todos que acompanharam essa incrível jornada: Sempre há uma escola e nunca desista!


RAFAEL YAGAMI

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: