CRÍTICA: BAYWATCH – SOS MALIBU (2017)

Por Alysson Melo

 

“Baywatch- SOS Malibu” é uma comédia regular, que tinha tudo para ser uma comédia excelente mas caiu ladeira abaixo pelos excessos”

 

Quando se veio a noticia de que o seriado “Sos Malibu” (Baywatch- no original) que foi lançado nos anos 90, iria ter sua adaptação para as telonas, veio um certo receio por parte do publico e do fãs do tv show, que se perguntaram se seria uma boa ideia adaptar uma série tão icónica. Agora reformulada com uma nova historia, com um novo elenco formado. No papel de protagonista temos o Dwayne Johnson e seu parceiro de cena o Zac Efron, que nos últimos anos assim como o Dwayne tem se aventurado em protagonizar varias comédias odiadas pelos críticos e amadas pelo publico. E a cargo disso tudo temos a direção de Seth Gordon e após as primeiras impressões da imprensa, e ao assistir ao filme, a confirmação veio logo em seguida, apesar de possuir boas piadas, do humor presente e de divertir, o longa teve como resultado regular.

A historia se passa em Emerald Bay, onde ninguém se destaca mais do que o lendário salva-vidas Mitch Buchannon (Dwayne “The Rock” Johnson). Como líder da equipe de Baywatch, Mitch tornou-se uma espécie de herói local. Mas o novo e insubordinado recruta do time, Matt Brody (Zaazc Efron), anda tirando a sua paciência. Apesar das desavenças, os dois se unem quando descobrem uma conspiração criminosa local que ameaça a enseada onde trabalham. Toda a equipe Baywatch é posta em teste quando uma nova e perigosa droga invade a costa de Emerald Bay.

© Paramount Pictures

A direcao ficou a cargo de Seth Gordon, que dirigiu os longas (Uma ladra sem limites) – 2012 e (Quero matar meu chefe – 2011. Seth ja tem em seu currículo vários filmes de comédia e parece ate ser um expert no assunto no quesito trazer boas comédias ao publico, mas aqui apesar dos seus esforços ele falha em não conseguir captar bem a essência que tinha na série de tv- Sos Malibu. Gordon traz uma direção ok e satisfatória, mas não esta em sua plena forma como nos filmes de outrora.

No elenco temos os já consagrados Dwayne Johnson e Zac Efron que estão em boa sintonia em cena, trazendo boas piadas e ate tirando sarro do próprio ator seja nos seus filmes ou com seu visual. A dupla se esforça apesar das falhas e juntos trazem uma boa dinâmica em tela. Quem rouba as cenas e traz o alivio cômico fica por conta de John Bass no papel de Ronnie Greenbaum um cara bobo e gênio da informática, suas idiotices e ingenuidade trouxeram bastante humor ao longa e isso foi um saldo bem positivo. A personagem vilã do filme fica por conta da atriz Priyanka Chopra que se mostra esforçada, mas não conseguiu ser muito malvada, em boa parte culpa do roteiro que refletiu no trabalho da atriz, Em alguns momentos soou só como uma madame mimada que quer as coisas só para ela , completando os destaques temos a Alexandra Daddario que traz sua beleza feminina em uma atuação boa, mas sem grande espaço para onde pudesse explorar melhor seu personagem.

© Paramount Pictures

O roteiro é o ponto fraco do filme, onde se faz uso de algumas piadas machistas e por vezes forçadas, e ditas de uma forma que force a tirar risadas do público sem ser algo mais natural, outro ponto negativo é o uso em excesso de câmera lenta, nós sabemos o quanto esses artifícios são importantes e necessários em algumas narrativas, principalmente se envolvendo belas mulheres, homens sem camisa e praia, mas a produção exagerou um pouco nesse quesito, dando a sensação de cansaço e dejavu de já ter visto essa cena anteriormente. Como se não bastassem os problemas ainda fizeram uso de clichês bem previsíveis que no meio da história você já desvenda todo o mistério. Acredito que por ser um filme de comédia isso deva ser muito comum, mas quando se incluem tantas situações obvias que no momento que o público assistir já não terá tanto impacto por ser tão claro e evidente tudo o que ocorre na historia.

A trilha sonora é um dos destaques positivos, com musicas bem atuais, com pegadas eletrônicas e pop rock trazendo uma boa sintonia entre as musicas e as cenas onde elas foram inseridas, outro fator importante é as belas paisagens onde foram filmadas as cenas, que são muito bonitas de se ver e enchem os nosso olhos. Como não poderia deixar de ser os atores que participaram da série original estão de volta em pequenas pontas, não irei contar quem são essas participações, mas acredito que o público que assistiu o tv show, assim como eu,  irá se lembrar de dois personagens muito importantes no seriado e que dão o ar de suas graças.

© Paramount Pictures

“Baywatch- SOS Malibu” é uma comédia regular, que tinha tudo para ser uma comédia excelente mas caiu ladeira abaixo pelos excessos e má escolha no roteiro, apesar das falhas bem nítidas, o longa nos tira risadas em muitos momentos e nos diverte, mas fica aquela sensação de que poderia ter sido bem melhor, a história não chega a ser ruim, só não é marcante e que um tempo depois você nem lembrará direito da narrativa, vale pela dinâmica da dupla Zac e Dwayne , os alívios cômicos dos personagens e para relembrarmos o quanto a série Baywatch – SOS Malibu marcou gerações. E não saia antes dos créditos pois tem varias cenas de erros de filmagens hilários que vale muito a pena assistir.

_______________________________________________________

AUTOR DO TEXTO

ALYSSON MELO

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: