AMERICAN CRIME STORY: THE PEOPLE VS. O.J SIMPSON

Por Allyson Ramos Camara.

Originalmente um spin-off de American Horror Story focado em crimes verídicos, American Crime Story é uma série antológica do canal FX que tivera a estreia da sua primeira temporada no dia 2 de fevereiro de 2016 com o subtítulo The People vs. O.J Simpson. Tem como idealizadores Scott Alexander e Larry Karaszewski (Roteiristas em Ed Wood, Grandes Olhos e 1408), Ryan Murphy (Scream Queens,Glee e American Horror Story) como Produtor Executivo na companhia de Nina Jacobson (Saga Jogos Vorazes e O diário de um banana), Brad Simpson(Vocalista da banda The Vamp) e Brad Falchuk(Nip/Tuck, Glee e American Horror Story).

Narrando o famoso caso do ex jogador de futebol americano O.J Simpson que foi indiciado por ter matado sua ex mulher Nicole Brown e o amigo/namorado dela Ronald Goldman em 12 de junho de 1994. O roteiro de Scott e Larry é excelente, abordando não só o julgamento mas também todo movimento político e social negro que estava em voga, além disso consegue não só retratar a vida de O.J mas como de todos envolvidos nessa trama, principalmente a promotora Marcia Clark. O único problema é que em algumas vezes se torna cansativo junto com uma narrativa lenta e claramente visível uma tentativa de delongar a história.

A temporada tem como principal nome na direção o próprio Ryan Murphy responsável por 4 dos 10 episódios, a direção algumas vezes é extremamente fiel em retratar os fatos e com uma leve inspiração na estética de videoclipe que fazia sucesso na época na qual se passa a história. No entanto em diversos momento é mal feita, a câmera se movimenta de maneira não estilizada, distorcida, rápida, gerando um desconforto desnecessário e não condizente com o que está acontecendo em cena, dando a impressão de está ocorrendo algo grandioso, quando na verdade há tem nada demais. Outros diretores envolvidos são Anthony Hemingway (Alguns episódios de Shameless, The Newsroom e CSI: New York) com 5 episódios e John Singleton (+ velozes + furiosos, Quatro Irmãos e O massacre de Rosewood).

O elenco conta com Cuba Gooding Jr. como O.J Simpson uma atuação exagerada por diversas vezes e ocasionalmente boa. John Travolta e David Schwimmer tem atuações péssimas, que me faz questionar porque a escalação deles. Por sorte temos Sarah Paulson como a promotora Marcia Clark, que está excepcional, extremamente merecedora dos prêmios que recebeu por esse papel. Outros atores que merecem destaque são Courtney B. Vance como o advogado Johnnie Cochran e Sterling K. Brown como o promotor Christopher Darden.

A fotografia é simples em termos de iluminação, porém muito eficaz nos momentos que precisa encenar uma cena histórica, e isso se deve a Nelson Cragg, que possui uma ampla experiência em fotografia de séries com nomes de peso como Breaking Bad, The After e CSI. Com certeza ele que faz esses enquadramentos memoráveis que é uns dos pontos fortes da série, e temos aqui uma direção de fotografia que se sobressai em muito a direção geral.

A caracterização e a ambientação é maravilhosa e praticamente intocável. Se compra a ideia dos anos 90 logo de cara e quando se compara a maioria dos personagens com os atores chega a ser espantosa a semelhança.

Vale mencionar o enorme sucesso que foi a temporada, principalmente nas premiações, levando 9 Emmys e 2 Globos de Ouro. Apesar de todas as coisas que me incomodaram, achei ótima com uma história que deveria sim ser contada e que veio no momento certo. Recomendável para amantes de série no geral, mais ainda para os de criminais e de causas negras.

______________________________________________

Nota: 8.2/10. (Média: 7.0)

Allyson Ramos Camara

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: