A Hora da Estrela | Sidney Poitier

Sidney Poitier, se tornou o primeiro ator negro a ganhar um Oscar de Melhor Ator em 1963 por Uma Voz nas Sombras, em 2001 recebeu um Oscar especial pelo conjunto de sua obra. Possui uma estrela na Calçada da Fama, localizada em 7065 Hollywood Boulevard.

Filho de uma família de Cat Island, nas Bahamas, Sidney Poitier nasceu em Miami quando de uma visita de seus pais àquela cidade. Sua infância foi marcada pela pobreza, já que seu pai era um agricultor de poucas posses. Aos 15 anos, foi enviado para Miami, a fim de viver com seu irmão mais velho e evitar o crescimento de uma tendência para a delinqüência.

Uma vez lá, experimentou na própria carne o preconceito racial, principalmente por ter vindo de uma sociedade predominantemente negra. Em contrapartida, cresceu nele uma determinação para lutar e criar oportunidades para os negros.

Aos 18 anos, decidiu ir para Nova York, onde teve que se submeter a subempregos e a dormir em terminais de ônibus.  Após uma breve passagem pelo Exército, onde foi locado em um hospital para veteranos, passou a realizar trabalhos domésticos no Harlem.

Decidido a entrar para o mundo do teatro, somente depois de seis meses de seguidas tentativas, conseguiu uma pequena ponta numa produção da Broadway, “Lysistrata”, tendo sua atuação recebido excelentes críticas dos profissionais da imprensa.

No final de 1949, teve que escolher entre um papel principal de uma peça da Broadway e um convite de Darryl F. Zanuck para atuar no filme de Joseph L. Mankiewicz, “O Ódio é Cego”.  Optando pelo cinema, sua atuação como um médico negro a tratar de racistas brancos, o levou a interpretar personagens mais interessantes.  Sete anos depois, começou a receber convites para atuar em papéis principais.  Um dos filmes, “Acorrentados” lhe valeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator.  Em 1963, por sua atuação em “Uma Voz nas Sombras”, de Ralph Nelson, Poitier foi finalmente agraciado com a famosa estatueta.  Em 2002, a Academia Cinematográfica de Hollywood lhe conferiu o Prêmio Honorífico por sua obra, sempre representando a indústria do cinema com dignidade, estilo e inteligência.

Além de suas atividades nos palcos e no cinema, Poitier sempre marcou presença nos movimentos pela defesa dos direitos civis.  Embora tenha reduzido a freqüência de atuação no cinema nos últimos anos, ele permanece como um dos mais respeitáveis e queridos atores do cinema americano do século XX.  Fluente em russo, foi agraciado com o grau de doutorado honorífico pela Universidade Shippensburg da Pennsylvania.

Em 2009, o presidente Obama nomeou Poitier com a medalha Presidencial da Liberdade. a maior honraria civil dos Estados Unidos, a Medalha da Liberdade é concedido a indivíduos que fazem uma contribuição especialmente meritória para a segurança ou os interesses nacionais dos Estados Unidos, paz mundial, público significativo cultural ou outro ou empreendimentos privados.

Sidney Poitier casou-se em 1950 com Juanita Hardy, com quem teve 4 filhos e de quem se divorciou em 1965.  Em janeiro de 1976, voltou a se casar, desta vez com Joanna Shimkus, com quem tem duas filhas, Anika e Sydney Tamiia Poitier.

_________________________________________________________________

z33

Igor Quadros

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: