A Hora da Estrela | Leonardo Dicaprio

Em 2016, finalmente sua carreira se consagra definitivamente, sendo o grande ganhador do Oscar de melhor ator pelo filme “O Regresso” do diretor Alejandro González Iñárritu.
Leonardo DiCaprio, na minha opinião foi ator mais esnobado pelo Oscar de todos os tempos. Vamos lembrar alguns dos filmes, que achamos que ele merecia a indicação e levar a estatueta.
“GILBERT GRAPE: APRENDIZ DE SONHADOR” (1993) – O nome do título, Gilbert Grape, é vivido por Johnny Depp, mas quem rouba a cena nesse filme é DiCaprio, que impressionou na atuação com um jovem com deficiência. Com apenas 19 anos, o ator conseguiu sua primeira indicação ao Oscar e foi a primeira vez que foi esnobado pela Academia.
“TITANIC” (1997) – A atuação de DiCaprio como Jack Dawson, ganhou uma legião de fãs adolescentes que ele arrebatou. Titanic se tornou um dos filmes mais premiados de todos os tempos, levou 11 estatuas. Muitos dizem que foi por ter sido esnobado que DiCaprio não foi prestigiar os colegas no Oscar no ano de Titanic.
“PRENDA-ME SE FOR CAPAZ” (2002) – Para viver o vigarista Frank W. Abagnale Jr., DiCaprio foi piloto de avião, médico, advogado e até professor de francês. O ator ainda teve de ter pique de atleta para filmar em nada menos que 147 locações diferentes.
“O AVIADOR” (2004) – Em sua primeira parceria sólida com Scorsese, DiCaprio viveu o obcecado aviador Howard Hughes. Quem não se lembra da aflitiva cena em que o personagem lava as mãos até sangrarem e ainda fica preso no banheiro por não querer suja-las na maçaneta? Ele chegou a ser indicado ao Oscar pelo papel e mais uma vez, não levou.
“DIAMANTE DE SANGUE” (2006) – Nesse filme DiCaprio correu, pulou, atirou, dirigiu, fugiu de metralhadoras, se sujou, sofreu, gritou e não levou o Oscar. Por tanto esforço, nosso Oscar é dele.
“OS INFILTRADOS” (2006) – DiCaprio convenceu Jack Nicholson de que ele não era o rato infiltrado na máfia e ainda encheu dois caras de porrada em um bar. Não tem como não dar a estatueta a ele em circunstâncias como essa.
 “ILHA DO MEDO” (2010) – Em mais uma parceria com Scorsese, DiCaprio volta a viver um homem atormentado pelos próprios devaneios. Mark Ruffalo e Ben Kingsley passaram apuros nas mãos do veterano de guerra descompensado, mas a atuação foi madura e agradou os críticos.
“J. EDGAR” (2011) – Sob a direção de Clint Eastwood, Leonardo DiCaprio interpreta o personagem-título por mais de 50 anos. É um dos melhores trabalhos da carreira do ator, que contou com maquiagem, mas principalmente com talento.
“DJANGO LIVRE” (2012) – DiCaprio nunca esteve tão mau e violento quanto nesse filme, do jeito que Tarantino gosta. Em uma das cenas, em que dá um soco em uma mesa de vidro, DiCaprio cortou a mão de verdade. Segundo a produtora, o sangue gotejava, mas ele rodou até o final.
“O LOBO DE WALL STREET” (2013) – Depois de simular uma paralisia por uso de drogas, todos pensavam: “Dessa vez o Oscar é dele, não é possível”. Mas ainda não foi dessa vez. DiCaprio perdeu a estatueta de melhor ator para Matthew McConaughey, por “Clube de Compras Dallas”, entrando de vez para o hall da fama dos injustiçados.
Verdade seja dita, DiCaprio é um dos atores mais consistentes da atualidade.
______________________________________________________________________
igor street
Igor Quadros

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: